São João del Rei Transparente

Apresentação do Projeto

PortuguêsEnglish

A cidade com que sonhamos é a cidade que podemos construir - pelo empoderamento transparente local/global: www.saojoaodelreitransparente.com.brAtitude Cultural
Alzira Agostini Haddad/Histórico e Homenagens do projeto 
Vídeo: São João del-Rei Transparente . Ser nobre é ter identidade

"...é possível construir formas de organização social inovadoras, baseadas em princípios democráticos, inclusivos, emancipadores e que busquem a sustentabilidade. Desta forma, organizações, pessoas e grupos de todas as partes, do local ao global, podem somar seus talentos, vocações e recursos em torno de objetivos comuns e fortalecer a ação de todos."
Redes, WWF

Resumo

O www.saojoaodelreitransparente.com.br/Atitude Cultural é um projeto-piloto voluntário que desenvolvemos desde o ano 2000 em São João del-Rei, Capital Brasileira da Cultura em 2007. Buscamos criar um Banco de Dados passível de ser reaplicável nas cidades, de coleta e tratamento permanente de dados e imagens da identidade cultural erudita e popular/antiga e contemporânea em rede/inteligência. Um inventário digital participativo/laboratório interativo, detalhado e integrado que registra e correlaciona esses dados e imagens para divulgação de informações e conhecimentos contextualizados e inter-relacionados. É fundamental a construção, sinergia, organização e o mapeamento democrático dos conteúdos locais para um melhor planejamento, regulação, definição e defesa de políticas públicas estruturantes sociais, de patrimônio entre outros - de canais, mecanismos e instrumentos de participação, para que os atores urbanos e as correntes de interesses que atuam sobre as cidades, possam exercer seus direitos respeitando o interesse coletivo. Com um sistema integrado dos indicadores-chaves, multi-institucional, multidisciplinar de baixo custo e fácil implantação, somar dados, tecnologia e inovações promove o acesso e a inclusão, reduz desperdícios, duplicação de trabalho, desmontes ou retrocessos - favorece o não se construir o mesmo conteúdo e reinventar-se a roda indefinidamente. Com sucessivos hiperlinks, buscamos auxiliar a comunidade no conhecimento da cidade, visando identificar, valorizar e divulgar em rede as melhores práticas, melhores produtos e serviços, pesquisas, ouvidoria, prestação de contas, projetos, manifestações sócio culturais, publicações, legislação, campanhas, agenda cultural entre outros, registrando e cruzando fontes confiáveis e seguras, interagindo Conselhos Municipais e lideranças. Organizamos dados à deriva na esperança de favorecer um alinhamento e planificação de conceitos, avanços e critérios, técnicas e metodologias, pró produção e aplicação mais correta do conhecimento, beneficiando o potencial que só uma rede torna possível, possibilitando parcerias, vínculos e cooperação local/internacional mútua, orientados pelos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Respeitando e difundindo as ações das organizações multilaterais, os padrões e diretrizes internacionais de governança, pró adesão e difusão dos tratados, recomendações, Cartas Patrimoniais, ESG/Pacto GlobalAgenda 2030.

Na nossa experiência, percebemos que apenas a partir do âmbito local pode-se tornar possível uma prática que envolva todas essas questões e mapear fidedignamente os registros dessa imensa gama dos inúmeros pontos de nossa própria rede, Bancos de Dados escalonável para a região, o país e o mundo. Envolvendo e dando voz a cada cidadão, cada projeto e iniciativa, cada grupo e toda a comunidade, de guardiões engajados capazes de gerar uma coordenada, eficiente, eficaz e legitimada Rede de Tecnologia Social de competências colaborativas. Com toda autonomia sempre - valorizando e protegendo as nossas riquezas, fortalecendo e sendo fortalecidas pelas dimensões local global, possibilitando que a memória, os Direitos Humanos e a emancipação sejam considerados nas tomadas de decisões. A necessária estrutura de uma política de proteção do patrimônio material e imaterial deve se estender no investimento, adesão, disponibilização e proteção dos acervos de dados digitais. A atualização de plataformas, a falta de segurança, recursos e ações muitas vezes inconsequentes, deletam irreversivelmente décadas de lutas, de registros e estudos.
Sonhamos e fazemos a nossa parte por cidades e comunidades mais conectadas, inteligentes, humanizadas e transparentes.

Redes e Banco de Dados: compartilhamentos colaborativos.

A nossa formação em escolas e universidades públicas e as muitas e generosas oportunidades que recebemos ao longo de nossa trajetória contribuíram para o nosso histórico de cidadania ativa de participação em diversos grupos nacionais e internacionais de discussões e ações sobre as persistentes violações dos direitos ambientais, humanos e do patrimônio em nossa cidade e país. Cientes do quanto um avanço é urgente e possível tanto quanto cheio de entraves, sempre nos mobilizamos e agimos para contribuir com a nossa comunidade, que luta para ser melhor e é muito vulnerável quanto aos problemas de irresponsabilidade e governança inconsistente. Na esperança de poder colaborar para a criação e manutenção de mecanismos de cooperação internacional para acelerar o desenvolvimento sustentável das cidades e países em desenvolvimento, as políticas internas/externas conectadas na linha do tempo e das ações: fomentando a educação, a capacitação e a conscientização; construindo e potencializando a nossa capacidade de fortalecer todos os esforços, instrumentos jurídicos locais globais, a boa governança, as possíveis e bem-vindas mediações de conflitos. Através de canais "Big Data", temos a possibilidade de co-criar um sistema integrado de dados estruturados, podendo ser construído e usufruído por cidadãos, organizações, Gov-tech - um caleidoscópio coletivo, fenomenológico, democrático e infinito. Somos uma rede de consultas de conteúdos em constante construção, com uma equipe mínima, sem patrocínio, esperançosos de que a participação da comunidade e de mulheres seja muito mais representativa neste projeto como em todos os campos de decisões. Buscamos sempre superar os limites, aprimorar, atualizar e aprofundar vários conteúdos. O melhor possível dentro do possível.

Com muita perseverança, temos feito este mapeamento digital interativo registrando:

Destacamos em nossos registros:
Mídia com Clippings de notícias
SOS Cidade, procuram-se voluntários, mecenas
Dicas para quem quer construir, reformar, restaurar ou pintar o seu imóvel
Placas comerciais, cartazes, toldos e engenhos publicitários no Centro Histórico São João del-Rei/alinhando-se ao esforço global pró Preservação da Paisagem Urbana de Centros Históricos Turísticos
Diretrizes Políticas de Preservação do Centro Histórico de São João del-Rei
Banco de projetos e empresas aptas a praticar a Responsabilidade Social e Cultural em São João del-Rei e região
Lixo em São João del-Rei . Campanha SJDR limpa - Eu faço a minha parte!
A presença italiana em São João del-Rei e Minas Gerais
Educação em São João del-Rei, Região e Minas Gerais
Plano Diretor de São João del-Rei
Arquitetos, engenheiros, construtoras, corretores . São João del-Rei
Peças gráficas de educação patrimonial
Encontro de Folia de Reis e Pastorinhas
Complexo Ferroviário de São João del-Rei
Orquestra Lira Sanjoanense - fundada em 1776 em atividade ininterupta até hoje, considerada a mais antiga em atividade das Américas e a 2ª mais antiga do mundo.

ATITUDE CULTURAL/Relatórios e Prestação de Contas:
Registro modelo detalhado de como entendemos que precisam ser disponibilizados os relatórios das ações sócio-culturais que se beneficiam de recurso público. Já realizamos cerca de 800 projetos de pesquisa-ação: música erudita e popular/música na praça: 97; artes cênicas, encontros e manifestações culturais: 124; oficinas vivas: 40; homenagens: 60; homenageados . Atitude Cultural; peças gráficas de educação patrimonial/em papel e versão virtual: 61; exposições: 72; Instalações cenográficas: 34; documentários e Curta Docs: 56; participações e parcerias culturais: 252, disponíveis nos projetos abaixo, que culminam em inventário em papel integrado ao inventário digital sócio-cultural da cidade:

"O centro está em toda a parte", Nicolau de Cusa, Século XIII
Precisamos reconhecer: no Brasil e no mundo, muitos são os desafios e os esforços para se construir esta imensa rede de transformação digital e tem-se feito isto com muita determinação, sistematizando e catalogando, dentro do possível, toda construção humana acessível. A história, a cultura e a educação o tempo todo geram e disponibilizam fatos e exemplos do quanto todo processo é uma experiência legítima para além dos resultados, favorecendo e inspirando a criação de alternativas e soluções efetivas. O desenvolvimento e manutenção de portais vem produzindo excelentes conteúdos, enfrentando todos os limites, graus de dificuldades e complexidades, como também usufruindo de todos os benefícios que uma rede constrói se auto alimentando. A auto regulação e o auto-ajuste se impõem na medida em que cada um é responsável pelo conteúdo que publica, pois, é próprio de um sistema de rede a descentralização e a multiliderança (Redes, WWF). A incidência de despesas, prejuízos econômicos e sociais que decorrem da falta de planejamento, informações incorretas, falsas, contradições e conflitos, dados dispersos, muitas vezes perdidos ou esquecidos, perpetuam as limitações e as misérias humanas. Indignação ativa aos eternos fakes acenos de teorias e práticas desumanas, onde ações, reações e consequências são sempre desproporcionais e desastrosas. Cada grupo, projeto ou instituição precisa ter o seu próprio Banco de Dados/Portal o mais completo possível, como o exemplar Projeto Portinari.

Compatibilizamos os diversos interesses intrínsecos de uma cidade histórica carregada de riquezas culturais, naturais e seus conflitos, como os problemas relacionados ao patrimônio e sua preservação: paisagem urbana, comércio, trabalho, normas, interesses privados confrontados com os interesses coletivos. Localmente temos muitos exemplos de ações presenciais e virtuais, sempre envolvendo instituições e entidades, escolas, grupos e entidades, mídia, conselhos, universidades e comunidade, como por exemplo, o Projeto MAS-Museu de Arte Sacra: atividades culturais, o trabalho da Era Virtual, que desenvolve Sistemas multimídias e visitas virtuais de museus, vídeos diversos como a História da arte do Estanho em São João del-Rei, mídias digitais como o Tencões e Terentenas, A antiga São João del-Rei, Eu amo São João del-Rei, Ammas Del-Rei . Portal da Cidadania São João del-Rei - e na região, em Tiradentes, a rede do Fórum do Amanhã, já em várias edições entre tantos acervos digitais de ações concretas que não podem se perder por terem se tornado uma referência. Em sequência, Lei Robin Hood/ICMS Cultural, FJP-Fundação João Pinheiro, Minas Transparente, Exposições Documentais da Biblioteca Nacional Digital, BNDB-Biblioteca Nacional Digital do Brasil, Rede Brasileira de Serviços de Preservação Digital-CARINIANA, Abong – Associação Brasileira de ONGs, CONAMP-Associação Nacional do Membros do Ministério Público, ICOMOS Brasil, Museu da Pessoa, RETS-Revista Eletrônica do Terceiro Setor, Colab, RedeGov.br, Participa.br, Transparência Brasil/ governança e transparência no uso de IA-Inteligência Artificial. Em sequência, Datapedia, OMS-Organização Mundial da Saúde, CIF OIT-Organização Internacional do Trabalho, Europeana.eu . Portal cultural e científico da Europa, Global Citizen, Datapedia, Biblioteca Digital Mundial, Comitê de Especialistas das Nações Unidas sobre Gestão Global de Informação Geoespacial (UN-GGIM), WWF, Programa Memória do Mundo da Unesco, Fórum Social Mundial, Kiva, Learning Passport - UNICEF, Wikipedia, ESG/Pacto GlobalISO, IDH Global, Google, Microsoft/Bill & Melinda Gates Foundation, Cidades de 15-20 minutos, Cidades Inteligentes; Our World in Data, Nações Unidas, Agenda 2030. São portais e redes de referência - não é mais possível conceber o mundo sem a dimensão de rede e todo o seu ad infinitum potencial. Generosidade na esperança de se romper com o que a história e as nações vem vivenciando com relação às violações dos princípios fundamentais da humanidade. Há muitos esforços intersetoriais por um mundo mais equânime que estão registrados em milhares de iniciativas passíveis de serem reaplicadas, nos grandes encontros que culminaram em importantes compromissos via Declarações e Cartas Patrimoniais, como a Carta das Nações Unidas.

É vital que sejam empreendidas ações sinergéticas para um consenso político local/global de cooperação, que potencialize as iniciativas, a segurança, o reconhecimento da importância dos avanços e a sua divulgação na defesa das frágeis e vulneráveis condições e legados humanos. Temos inúmeras lacunas nas questões e ações relacionadas aos Patrimônios declarados ou não da Humanidade, em obras-primas arquitetônicas e de toda a natureza. Desastres naturais como enchentes e pandemias, com os seus avassaladores impactos e consequências, atentados ou incêndios, como o do Museu Nacional em 2018 - tantos são os perigos que cercam as nossas comunidades, as nossas conquistas, memórias, dados, documentos, bens patrimoniais e ambientais. Tudo isto está sujeito às vicissitudes do tempo, às contingências da cultura vigen­te, as  inconcebíveis letar­gias, incontáveis desperdícios, erros graves, retrocessos e desmontes, negligências, políticas inadequadas e inconsistentes, práticas incoerentes ou descomprometidas. O poder local não percebe na maioria das vezes, a dimen­são da importância de seu legado construído - educação patrimonial por excelência. As paisagens urbanas convivem com inúmeros riscos de demolições, construções ou restaurações sem critérios, comprometendo a sua identidade, apagando as suas referências, memórias e as lições que tudo isto representa. Também sentimos isso em nossa alma e nossa pele, infelizmente.

A necessária estrutura de uma política de proteção do patrimônio deve se estender no investimento e na proteção dos acervos de dados digitais. Ações deliberadas e irresponsáveis põe a perder lutas e registros de séculos de estudos. Muitas vezes nos deparamos com a retirada sumária de dados importantíssimos de portais por novos gestores menos sensíveis ou não conhecedores dos árduos caminhos de construção deste tipo de legado - muitos riscos nas atualizações e "modernizações de sites". No nosso portal nós não temos acesso a inúmeros links por esses motivos. Premissas relacionadas a "progresso" já fizeram muitos estragos irreversíveis, com um click pode-se descartar, deletar décadas de pesquisas e registros, privando o mundo de suas descobertas, revelações e seus benefícios. Se estes dados ou acervos não estiverem disponíveis, muitas vezes eles se perdem ou até desaparecem junto de quem os produziu. Acontece com muita frequência, acervos importantes serem incinerados ou jogados literalmente ao lixo quando seus criadores e leais guardiões morrem. Temos enfrentado muitos problemas relativos a custos que tiram importantes portais do ar - o que vai ser dos milhares de Bancos de Dados, sites, blogs, portais voluntários como o nosso, que não contam com a proteção de uma política pública que nos apoia - quando formos embora? Quando disponibilizados em rede esses acervos são protegidos, uma vez que os dados se espalham indefinidamente e são incorporados à vida das organizações e das pessoas. São infinitos os exemplos e esforços de boas práticas na rede - a cidade, o país e o mundo com que sonhamos agora - e de fato, podemos construir juntos.

A nossa cidade: São João del-Rei

"Cidade da música", Capital Brasileira da Cultura 2007, construiu seu grande acervo arquitetônico e cultural graças ao trabalho e contribuição de inúmeros mestres e cidadãos, consolidando sua importância histórico-cultural em nosso país. Possuímos tradicionais entidades e grupos sociais que desenvolvem trabalhos importantes e perpetuam nosso rico patrimônio material e imaterial. Em nossa histórica São João del-Rei - temos acervos, arquivos e documentos importantíssimos que pertencem a outras instituições e cidades - Arquivo Público Mineiro, Arquivo Nacional, Biblioteca Nacional, Ouro Preto, Mariana, etc. Já aconteceu solicitar-se a cessão de algum documento, uma página de jornal etc e foi negado – como neste caso: São-joanenses querem reaver livro de batismo de Tiradentes. Documentos como esses deveriam ser digitalizados e compartilhados com as instâncias que dizem respeito, enriquecendo os acervos de seus locais de origem para todos os cidadãos, pesquisadores e estudantes. Sabemos ser mais complicado disponibilizar acervos físicos, mas disponibilizar acervo digital é um direito possível e é dever se compartilhar. As conexões e os links resolvem as questões dos créditos, do desenvolvimento de uma base de dados de cada instituição e localidade em um crescente poder de co-construção, proteção e benefícios destes registros. É preciso valorizar sempre o trabalho realizado, o seu registro e difusão em sistemas inclusivos. É tão profundo, interligado e complexo o universo e o potencial da tecnologia em rede quanto a compreensão do conceito de Gaia, que concebe o planeta Terra como um organismo onde tudo é integrado, ampliando-se todos os campos de raciocínio e percepção da vida e do mundo. É preciso assegurar uma consolidação dos avanços sociais, no grande esforço para a realização de seminários, encontros e manifestações, nas conquistas sociais e científicas e nos seus resultados - que não se restrinjam a prateleiras, ao esquecimento ou mesmo em iniciativas tímidas, solitárias ou inconsistentes que comprometem as suas implantações efetivas.

No mundo todo o problema da divulgação assertiva e facilitada, sem padrões internacionalmente estabelecidos e implantados impede um acesso mais amplo e completo a essas redes de informação. O universo das artes plásticas, cinema, teatro, museus, eventos, shows, exposições, produtos e serviços diversos tem tantas dificuldades para divulgar e vender suas obras e produções. A tecnologia coordenada dos agentes e das agendas podem favorecer todos os âmbitos de serviços; disponibilização permanente com históricos das iniciativas ou apresentações de teatro, shows, exposições, aulas e oficinas - podendo vender ingressos simbólicos, normais, de lançamento ou temporadas etc. Normalmente tem-se um público pequeno presencial em tantos trabalhos e iniciativas incríveis no campo da arte, da educação - concertos, festivais, seminários etc. Dificuldades e impedimentos de toda a natureza minimizam a propagação, comercialização, a participação e o empoderamento possível dos serviços e produtos locais tão únicos ou especiais. A pandemia certamente abriu e acelerou muitas portas digitais necessárias e ajudou a estabelecer uma ampliação de público e de cardápio sócio cultural fomentando a economia colaborativa. Precisamos cuidar para que as ações não se orientem apenas pela lógica da economia, mas principalmente pela lógica do interesse coletivo. Efeito dominó, Bancos de Dados, este possível e mágico instrumento democrático e participativo de inventário digital, pode nortear um desenvolvimento de políticas públicas mais coerentes. A necessidade levou o homem a criar a linguagem e a cultura para que a comunicação fosse possível. Com a TICs-Tecnologia da Informação e da Comunicação - o grande salto - possível registro de toda a construção humana, como também estabelecimento das relações entre estes dados, integração entre as instâncias afins e elaboração compartilhada das necessárias diretrizes locais/globais, pró Agenda 2030 pensando global, agindo local.

Não podemos esperar que governos sem bases ou alianças bem estruturadas e consolidadas, muitas vezes despreparados ou irresponsáveis, com toda a gama de sistemas igualmente desconectados de um compromisso maior, contribuam com práticas mais éticas. Assim como não podemos nos conformar sendo ou assistindo Dons Quixotes, sem um suporte local ou mundial consistente, lutando indefinidamente por reformas estruturais, para vencerem sistemas e governos totalitários ou frágeis - em cidades e países imaginários pró um sistema mais econômico-sócio-ambiental e cultural equânime, forte e leal, contra as desigualdades e a corrupção. Respeitamos e reconhecemos o poder de grandes mecenas, governos, organizações e empresas sérias e comprometidas, que são capazes de tantas conquistas e facilitam totalmente o nosso dia a dia e a nossa vida de fato. O que nos faz acreditar na possibilidade de que todas as comunidades e países possam ter um apoio mais concreto global, o seu Banco de Dados em rede via ferramentas gratuitas e alinhadas que os ajudem a organizar um sincronótico de nossas histórias, nossas melhores práticas para um futuro e práticas conjuntas mais promissoras e consolidadas.

Aguardamos por parcerias que se interessem em apoiar ou nos ajudar a aprimorar e reaplicar este projeto - que só pode se realizar dentro das possibilidades infinitas que a tecnologia e as realizações humanas propiciam, se puder continuar a contar com a contribuição de todos os cidadãos dedicados que construíram e constroem as nossas cidades. Uma vez estabelecidas e classificadas, participativamente, com uma metodologia mais universal e uníssona, estas referências permitirão que as cidades e as comunidades se comuniquem/comunguem através deste esperanto digital - não mais em dialetos desconexos, espalhados ou desestruturados – por uma governança mais colaborativa. Na era da TICS-Tecnologia da Informação e da Comunicação – a participação e a transparência se impõem.

Créditos:

. Alzira Agostini Haddad . Fundadora e gestora do portal/coordenação geral
. www.saojoaodelreitransparente.com.br . Atitude Cultural Projetos e Responsabilidade Social

Equipe atual: Técnologia do Banco de Dados/Bernardo Barreto Berg . dbWebhost . Sinoweb
                      Agenda Cultural - responsável/Ana Cristina Ferreira.

Histórico de equipe: Carol Argamim Gouvêa, Ligia A. Silveira, Elis A. Monteiro, Anna Júlia Silveira, Monique da Silva, Thayná de Castro N. Faria, Andressa Ferreira Pinto. Walquíria Domingues/jornalista: agradecimento especial pela inestimável contribuição no registro de dados e imagens deste portal.

Apoio: Wander Pastorini Haddad, Hugo Agostini Haddad, Isa Agostini Haddad - minha família parceira querida.
Leonardo Barci Castriota (UFMG), André Dangelo (UFMG), Antônio Emílio da Costa, Mauro André Santos, Alzira Barbosa, Eliane A. Monteiro, Gazeta de São João del-Rei. Este projeto contou em sua implantação com o Governo do Estado de Minas Gerais através do então Governador Aécio Neves, com recurso da Embratur e para o Banco de Imagens do projeto, recebemos o apoio do então Deputado Federal Reginaldo Lopes via Ministério do Turismo/CEF-Caixa Econômica Federal.

Nós podemos sim! Agenda 2030 . Alzira AH
A família com que sonhamos é a família que podemos construir.
A rua com que sonhamos é a rua que podemos construir.
A cidade/comunidade com que sonhamos é a cidade/comunidade que podemos construir.
O país com que sonhamos é o país que podemos construir.
O mundo com que sonhamos é o mundo que podemos construir.

Gratidão a toda comunidade, artistas, entidades, patrocinadores, equipe e apoiadores/todos os créditos registrados a cada ação: Atitude Cultural Projetos e Responsabilidade Social

***

Alzira Agostini Haddad nasceu em São João del-Rei, Minas Gerais, graduou-se em Psicologia pela UFSJ-Universidade Federal de São João del-Rei. Pós graduada em “Revitalização Urbana e Arquitetônica” pela UFMG-Universidade Federal de Minas Gerais, em “Conservação, Gestão e Valorização de Bens Culturais” pelo IILA-Instituto Ítalo Latinoamericano, Palazzo Spinelli, IPHAN e IEPHA, em “Desenvolvimento Local” pela OIT-Organização Internacional do Trabalho, em Gestão Cultural com ênfase em Cooperação Internacional/Instituto Hominus/PA e Duo Informação e Cultura. Curso de Gestão Colaborativa e Curso Hackeando a Burocracia da Colab University. Este projeto se realiza desde o ano 2000/Banco de Dados e Imagens/Inventário integrado e interativo www.saojoaodelreitransparente.com.br e já representou o Brasil internacionalmente 9 vêzes.

Criou a Atitude Cultural; membro sócia-fundadora do “Espaço Cultural Ao Cachimbo Turco”, da Sociedade Sãojoanense de Arte e Cultura, NAC- Núcleo de Assessoria Cultural, Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural de São João del-ReiAssociação Amigos de São João del-Rei, da qual foi presidente, o Inverno Cultural de São João del-Rei - hoje o maior projeto de extensão da UFSJ-Universidade Federal de São João del-Rei, onde trabalhou em diversas edições. Co-gestora de diversos projetos entre eles o Projeto MAS/Atitude Cultural/SESI de educação patrimonial, indicada Mineira de Ouro na edição 2013 do Jornal Estado de Minas e TV Alterosa em 2013, em 2011 recebe o Troféu Imprensa, em 2006 e 2009 recebe o Troféu Campos de "Minas Mulher empreendedora", a Medalha da Comenda da Liberdade e Cidadania e o Prêmio Gentiliza Urbana/IAB-Instituto de Arquitetos do Brasil em 2011. 

Gestora sócio-cultural, coordena a Atitude Cultural Projetos e Responsabilidade Social, que atua integrando pesquisa-ação de educação patrimonial e TICs-Tecnologia da Informação e Comunicação, tecnologias de cultura em rede digital. Fotógrafa, escreve artigos em jornais, coordena programas, projetos de educação patrimonial, ações sócio-culturais, participa de seminários e congressos nacionais e internacionais. Desenvolve projetos e ações ligadas ao resgate das principais manifestações culturais e tradições pupulares e eruditas, sempre com temas relacionados à identidade cultural de São João del-Rei e sua preservação. Fim de ano e Férias culturalSemana Santa Cultural/Tapete de Rua/FloresCarnaval de antigamenteProjeto Delícias de antigamenteDocumentários etc em parceria, que somam: Música erudita e popular/música na praça: 97; Artes cênicas, encontros e manifestações culturais: 124; Oficinas vivas: 40; Homenagens: 60; Homenageados . Atitude CulturalPeças gráficas de educação patrimonial/em papel e versão virtual: 61; Exposições: 72; Instalações cenográficas: 34; Documentários e Curta Docs: 56; Participações e parcerias culturais: 253, como por exemplo o Projeto de Educação Patrimonial MAS/Atitude Cultural/SESI DNTodas essas ações inventariadas com dados e imagens, através de relatórios e prestação de contas com todos os créditos, apoios e parcerias registrados em Atitude Cultural.

Este Banco de Dados e projetos nos honrou com reconhecimentos, homenagens, participações e prêmios abaixo relacionados:

Compartilhar Imprimir

ESSE PORTAL É UM PROJETO VOLUNTÁRIO. NÃO PERTENCE À PREFEITURA DE SÃO JOÃO DEL-REI.
Contribua ajudando-nos a atualizar dados, ações, leis, agenda cultural etc. Todos os créditos serão registrados.