São João del-Rei | Tiradentes | Ouro Preto
Transparentes

ser nobre é ter identidade

Melhores Práticas

O Teatro em São João del-Rei

Descrição

Imagens . O Teatro em São João del-Rei
www.visitaespetaculo.com.br

Cia Teatral Manicômicos
Livro de Jota Dangelo . Os anos heroicos do teatro em Minas
Fortim dos Emboabas: Centro de Referência do Artesanato e realizando projetos relacionados ao teatro e às artes em geral . UFSJ
O "TUNIS" . Jota Dangelo

Teatro Municipal Arquivo Silvério Parada
Teatro Municipal Arquivo Alzira Barbosa Simões Coelho
Teatro Municipal de São João del-Rei Foto: Arquivo Museu Regional de São João del-Rei Contato: 032 3371 7663

TECOS . Teatro Contemporâneo São-Joanense
Teatro Amador/Comunitário: “algumas experiências”
contato: mcamarano@bol.com.br

Fundado em 1974 em São João del-Rei por Marco Antônio Camarano.
Marco Camarano, escritor e diretor de teatro, nascido e criado em São João del-Rei, sempre esteve ligado à literatura. Em 1962/64 criou o Teatro Jovem e o Teatro Experimental na Escola Técnica Tiradentes, onde apresentou seis peças de sua autoria: “Fantasmas em férias”; “Num certo momento”; “Nós, os culpados”; “ Os Fracassados”; “O vale da morte” e “O Paralelo”. Em 1974 fundou o grupo de teatro amador TECOS, que em sua existência realizou montagens de autores expressivos, tais como: Jorge Andrade, Ronald Rage, Maria Clara Machado, Dias Gomes, Chico Buarque, dentre outros.
O TECOS realizou dezenas de dramatizações no antigos Colégios Nosa Senhora das Dores e Colégio São João, a pedido das professoras de Língua Portuguêsa.
O TECOS também teve a iniciativa de trazer a São joão del-Rei o Grupo CORPO com seu primeiro espetáculo intitulado MARIA, MARIA (Dezembro de 1976) antes da partida desse grupo para Lyon, na França. Como sempre, o público sao-joanense lotou o Teatro Municipal e foi possível pagar ao Paulo Pederneiras, diretor do grupo, o cachê de, na época, vinte e um milhões de cruzeiros, por uma única apreentação. O elenco e os técnicos do TECOS venderam 700 ingressos (que era a lotação do Teatro Municipal) a trinta mil cruzeiros cada um. Prevaleceu, nesse caso, o prestígio que o grupo gozava na cidade.

Peças montadas pelo TECOS:

Jesus, o Filho do Homem . 1974/75/82
Autor: Marco Camarano
Direção: Marco Camarano
Peça de estreia do TECOS

Pedreira das Almas (1975)
Autor: Jorge de Andrade
Direção: Marco Camarano

A Bruxinha que era boa . 1978
Autora: Maria Clara Machado
Direção: Marco Camarano

Transe . 1979
Autor: Ronal Rade
Direção: Marco Camarano
Peça feita em parceria com os alunos de psicologia da Faculdade Dom Bosco

Os Saltimbancos . 1979
Autores: Sérgio Bardotti e Chico Buarque
Direção: Marco Camarano

O Santo Inquérito (1979)
Autor: Dias Gomes
Direção Marco Camarano

A Fada que tinha idéias . 1984/85
Autora: Fernanda Lopes de Almeida
Direção Marco Camarano
Prêmio Molière (Rio de Janeiro – 1982)
Prêmio Mambembe (Rio de Janeiro - 1982)

Aurora da Minha vida . 1986
Autor: Naum Alves de Souza
Direção: Marco Camarano
Representou São João del-Rei no 18° Festival de Inverno da UFMG

Alguém tem um vintém? . 2005
Autor: Jacinto Rodarte
Direção: Marco Camarano

Entrevistado por: Diogo Oroiz para o Seminário .Teatro Amador/Comunitário: algumas experiências

Mais informações


O guarani . Álvaro Apocalypse . Giramundo
Rita Hilário (fez e manipulou os seus dois bonecos) e Jaiminho Vieira

Mais informações

O primeiro registro da presença de um circo no Brasil é datado de 1830, quando uma companhia, vinda de Buenos Aires, se apresentou no Teatro da cidade de São João del-Rei. A partir deste momento, e com maior frequência nos anos finais do século 19 e início do 20, Minas Gerais passou a receber circos que vinham de diferentes pontos do Brasil e até mesmo de outros países, a exemplo do Japão, Itália e Espanha.
Por meio dos jornais que eram publicados no período, é possível perceber que a chegada dos circos despertava a curiosidade e a fascinação na população, que esperava ansiosamente a presença dos artistas.
Em suas bagagens, os artistas traziam todas as novidades do período: zoológico, ginástica, teatro, bandas de música, cinematógrafo, entre outras diversidades artísticas. O cavalo ocupava um lugar central nas apresentações circenses, sendo chamados então "circos de cavalinhos".

Foto: Circo Norte-Americano instalado no pátio ao lado da Estação Ferroviária de Belo Horizonte, 1920. Na placa está escrito: “Última semana. Circo Norte- Americano em benefício do Orfhanato Santo Antônio”.

Fonte: História e Memória de Minas Gerais por Rosana Xavier

***

Jornal Gazeta de Oliveira, junho de 1888

"Acha-se entre nós a conhecida e já muito creditada Companhia Dramática dirigida pelo provecto artista Brandão, e prende dar alguns espetáculos no sofrível teatrinho de Oliveira.
Pelo que temos lido a respeito desta companhia, não trepidamos em dizer que é digna de apoio do público, não só pelo apurado gosto e maestria de seus dramas, como também pelo comportamento e fina educação dos seus artistas.
Em Ouro Preto e São João del-Rei, foi esta Companhia bem acolhida, dando em ambas as localidades grande número de espectadores; e as recomendações que dela temos recebido são as mais lisongeiras e honrosas".
*Cartaz de propaganda do espetáculo de estréia da Companhia S. Brandão em Oliveira, Oeste de Minas.

Fonte: História e Memória de Minas Gerais por Daniel Venâncio


Compartilhe fotos, documentos e ação/projeto cultural, registraremos a colaboração e todos os créditos.
Mais informações/imagens, utilize o SISTEMA DE BUSCA de nosso portal

Cadastre lideranças engajadas, sua ação sociocultural, seu projeto, produto, entidade, pesquisa, agenda cultural etc - contribua, complemente, atualize, curta e compartilhe!

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Instagram Compartilhar no Whatsapp Imprimir

ESSE PORTAL É UM PROJETO VOLUNTÁRIO. NÃO PERTENCE À PREFEITURA MUNICIPAL | CADASTRE GRATUITAMENTE A SUA AÇÃO SÓCIOCULTURAL