Organização

Grêmio Recreativo Escola de Samba Bate Paus

Imagens
 
Endereço
Rua José Pedro de Azevedo 110 Senhor dos Montes  
Telefone
32 9936 0998  
Email
batepaus@yahoo.com.br  
Atividades/Serviços
Participação nas festas de carnaval e apresentações em praças e escolas


Arquivo: Grêmio Recreativo Escola de Samba Bate Paus
 
Passo a passo para o cidadão ter acesso às atividades ou serviços
É necessário ter no mínimo 08 (oito) anos de idade e estar matriculado nas escolas regulares de ensino.
Entre em contato conosco para se informar sobre apresentações
 
Parceiros
Comunidade e Orgão Municipal  
Data de início das atividades
1933  
Tipo de sustentabilidade econômica
Através de verba municipal, somente para o desfile no período de Carnaval.  
Histórico da entidade
Sr. João Henrique, natural de São João del - Rei, do Bairro Senhor dos Montes foi testemunha da primeira vez em que os bate- pauenses ouviram um samba. Até então, eles cantavam e dançavam juntamente com alguns companheiros introduzindo assim um tipo de dança com coreografia cadenciada e uso de paus, semelhante a algum tipo de dança de origem africana, como o congado, assim no ano de 1933 nasceu a Escola de Samba Bate Paus, com as cores verdes e rosa.
As pessoas que presenciaram na época a dança repassaram para as gerações posteriores que uma turma de amigos se reunia a fim de passar o tempo batendo paus com alguns instrumentos de sopro e repercussão e que havia um porta - estandarte que  trajava vestimento típico e fazia evoluções muito parecido com o papel das porta- bandeiras das escolas de samba e dos blocos carnavalescos.
Em 17 de fevereiro de 1901, a Sociedade Filarmônica Sanjoanense promoveu um baile à fantasia. Nesta ocasião o povo postou-se defronte à sede daquela entidade para assistir a chegada dos foliões, sendo que alguns exibiam fantasias de "alto preço" para os padrões da maioria da população. A Orquestra Ribeiro Bastos executou a primeira valsa às 22:00 horas. No dia anterior, sábado de carnaval, a cidade foi acordada pelos "barulhentos Zé - Pereiras" . Originou-se nesta ocasião o "Bate-Paus", hoje o conceituado Grêmio Recreativo Escola de Samba Bate-Paus.
Quando começou a desfilar o "Bate-Paus" tinha características de rancho e desfilava com as marchinhas de carnaval que eram moda no Rio de Janeiro. Com o passar do tempo se transformou em bloco carnavalesco, tenho suas próprias canções produzidas por Hélio Alex, Wilson Tirapelli, dentre outros. Passaram a não ser mais samba- enredos, mas sim temas livres. Os foliões desfilavam com qualquer tipo de fantasia, pois o importante era brincar com paz e alegrar a todos.
O bloco carnavalesco teve ilustres diretores (as) como Sr. João Henrique, Sr. Euclides, Sr José Nolasco, Sr. Waldemar, Sr. José Pereira, Dona Paulina, Dona Nilza da Laide, Sr. Geraldo Trindade das Dores, Sr. Lourival Vicente Sandim, Sr. Mario Lucio, Sr Silvio Rosa, Sr.  Raimundo Nonato, Sr. Nato, Sr Wilher da Silveira, Sr. Almir Gonçalves, popularmente conhecido por "Reco", Sr. José Luiz Bassi, Dona Rute, Sr. Mário, Sr. Paulo César Rosa, Sr. Paulo César Veloso, Sr. José Luiz Alak, Sr. Jaci Agostinho de Andrade, Sr. José da Silva Ribeiro conhecido como Zequita, Sr. Fernando de Souza, Sr Igor Luiz Sandim Gonzaga, Sr Geraldo Borges, Sr Luiz Bonifácio, Sr Fernando Borges.
No ano de 1973, os compositores Wilson Tirapelli  fizeram a letra e a música  Falaram tanto que o nosso bloco acabou, deixa falar o que quiserem,
No 1982 o tema foi  O Morro em Noite de Gala, cuja  Letra e música é de Hélio Alex.
Em 1985 tomou posse uma das diretorias citadas acima que optou por elaborar os próprios sambas-enredos. A partir desse ano os temas foram bastante criativos e diversificados. São eles:
1985- Nossos tempos de criança, recordando às brincadeiras da época. Letra e música de Wilson Tirapelli.
1986- Natureza, liberdade aos pássaros -  referindo-se ás árvores, flores, água, sol, pedindo para libertação dos pássaros etc.. Letra e música de Pedro Benigno e Pistilin.
1988- Mistura Brasileira -  referindo-se há danças típicas do nosso país, tais como: maracatu, candomblé, bumba -  meu - boi. Letra e música de Sra. Estela.
1990- Criação do mundo - referindo-se a criação geral ex: pássaros, flores, homens etc.. Letra e música de Wilson Tirapelli.
No ano de 1991 o Bate Paus passa a desfilar como escola de samba, saindo com o enredo Jogos de Azar - referindo-se à baralhos, jogo de bicho, raspadinha, loto e outros. Letra e música de Pedro Benigno e Pestilim
1995- Mercadores de Ilusão- referindo-se Parques, Circos e Ciganos. Letra e música de Wilson Tirapelli e Juca do Olho d'agua.
1996- Lendas, Contos e Magias - referindo-se às histórias populares do Neguinho, dos Pastoreiros, do Saci -  pererê, da Vitória Régia, do Irapuru, dentre outros. Letra e música de Juca Olho d'água.
1997- Rio 2004-  referindo-se à possível realização das Olimpíadas no Brasil. A Agremiação prestigiou às diversas modalidades de esporte e os países participantes.
2000- Bate Paus rumo ao 3° milênio em busca da Paz falando do Brasil 500 anos -  referindo-se à descoberta do Brasil, acontecimentos desagradáveis tais como desmando, corrupção, roubo, miséria, violência, tráfico e com isso pedindo A PAZ no 3° milênio. Letra e música de Marquinho Bessa.
2003- Homenagem a Rádio São João por seus 55 anos - referindo-se às suas programações que marcaram gerações: Chá das Cinco, Janela Aberta, Rancho do Vieira, programas de esportes e Jornal das Dez. Letra e música de Wesley, Rogério.
2004- Os Quatro Elementos - referindo-se a terra, a água, ao fogo e ao ar. Letra e música de Gilmar.
2006- Mente sã, corpo são, o verdadeiro equilíbrio da vida - referindo-se à alimentação, esportes, alimento da alma que é a fé, enfim o cuidado do corpo humano. Letra e música de Kiko, Dezinho.
2007- Bate Paus é alegria e fantasia que contagia no reino da fantasia em noite de fulia - referindo-se às historias infantis, como Branca de Neve, Rapunzel, Alice no País das Maravilhas  e Mágico de Óz. Letra e música de Kiko.
Atualmente, o Grêmio Recreativo Escola de Samba Bate-Paus, tem como presidente da Agremiação o prezado Sr. Igor Luiz Sandim Gonzaga, que busca, juntamente com todos os membros da diretoria: Fernando de Souza, Leilane, Anderson, Flávia, Emanuel, Vainer, Adriana, Zé Carlos, Helton conhecido como Carioca, Altamiro, Mauro, Inácio, Aninha, Ribeiro, dentre outros, manter as tradições do BATE PAUS herdadas desde a época do Sr. João Henrique e Sr. Zé Pereira, nobres moradores do bairro Senhor dos Montes, que foi o primeiro a testemunhar a dança com coreografia cadenciada com o uso de paus,  bem como zela e luta para melhorar a cada dia a Escola de Samba, pois ao mesmo tempo que sente-se lisonjeado em representar àqueles que lhes depositaram confiança, sabe que  não pode decepcionar os carnavalescos e foliões de São João del -Rei.

Histórico da entidade disponibilizado por um de seus diretores Igor Sandim, em fevereiro de 2011:


Histórico GRES BATE PAUS e seu filho Sr. Beleleu

Sr. João Henrique, fundador do GRES BATE PAUS, natural de São João del - Rei, do bairro Senhor dos Montes foi testemunha da primeira vez em que os bate- pauenses ouviram um samba. Até então, eles cantavam e dançavam juntamente com alguns companheiros introduzindo assim um tipo de dança com coreografia cadenciada e uso de paus, semelhante a algum tipo de dança de origem africana, como o congado. Assim no ano de 1933 nasceu a Escola de Samba Bate Paus, com as cores verdes e rosa.
As pessoas que presenciaram na época a dança repassaram para as gerações posteriores, uma turma de amigos se reunia a fim de passar o tempo batendo paus com alguns instrumentos de sopro e repercussão. Havia um porta - estandarte que  trajava vestimenta típico e fazia evoluções muito parecido com o papel das porta- bandeiras das escolas de samba e dos blocos carnavalescos, na qual geralmente era homem que realizava este papel, até por se tratar de um certo preconceito dos pais autorizar suas Filhas a desfilarem. 
Em 17 de fevereiro de 1932, a Sociedade Filarmônica Sanjoanense promoveu um baile à fantasia. Nesta ocasião o povo postou-se defronte à sede daquela entidade para assistir a chegada dos foliões, começava-se a ter indício de nascimento dos batepauenses, sendo que alguns exibiam fantasias de "alto preço" para os padrões da maioria da população. A Orquestra Ribeiro Bastos executou a primeira valsa às 22:00 horas. No dia anterior, sábado de carnaval, a cidade foi acordada pelos "barulhentos Zé - Pereiras" . Originou-se nesta ocasião o "Bate-Paus", hoje o conceituado Grêmio Recreativo Escola de Samba Bate-Paus.
Quando começou a desfilar o "Bate-Paus" tinha características de rancho e desfilava com as marchinhas de carnaval que eram moda no Rio de Janeiro. Com o passar do tempo se transformou em bloco carnavalesco, tenho suas próprias canções produzidas por Hélio Alex, Wilson Tirapelli, dentre outros. Passaram a não ser mais samba- enredos, mas sim temas livres. Os foliões desfilavam com qualquer tipo de fantasia, pois o importante era brincar com paz e alegrar a todos.
O bloco carnavalesco teve ilustres diretores (as) como Sr. João Henrique, Sr. Euclides, Sr José Nolasco, Sr. Waldemar, Sr. José Pereira, Dona Paulina, Dona Nilza da Laide, Sr. Geraldo Trindade das Dores, Sr. Lourival Vicente Sandim, Sr. Mario Lucio, Sr Silvio Rosa, Sr.  Raimundo Nonato, Sr. Nato, Sr Wilher da Silveira, Sr. Almir Gonçalves, popularmente conhecido por "Reco", Sr. José Luiz Bassi, Dona Rute, Sr. Mário, Sr. Paulo César Rosa, Sr. Paulo César Veloso, Sr. José Luiz Alak, Sr. Jaci Agostinho de Andrade, Sr. José da Silva Ribeiro conhecido como Zequita, Sr. Fernando de Souza, Sr Igor Luiz Sandim Gonzaga, Sr Geraldo Borges, Sr Luiz Bonifácio, Sr Fernando Borges, Sr Marcos e agora o Sr. Josias, conhecido como Branco. No ano de 1973, os compositores Wilson Tirapelli  fizeram a letra e a música  Falaram tanto que o nosso bloco acabou, deixa falar o que quiser...., Hino este que acompanha nossos ensaios e inícios de desfiles até a presente data.
No 1982 o tema foi  O Morro em Noite de Gala, cuja  Letra e música é de Hélio Alex.
Em 1985 tomou posse uma das diretorias citadas acima que optou por elaborar os próprios sambas-enredos. A partir desse ano os temas foram bastante criativos e diversificados. São eles:

1985- Nossos tempos de criança, recordando às brincadeiras da época. Letra e música de Wilson Tirapelli.
1986- Natureza, liberdade aos pássaros -  referindo-se ás árvores, flores, água, sol, pedindo para libertação dos pássaros etc.. Letra e música de Pedro Benigno e Pistilin.
1988- Mistura Brasileira -  referindo-se há danças típicas do nosso país, tais como: maracatu, candomblé, bumba -  meu - boi. Letra e música de Sra. Estela.
1990- Criação do mundo - referindo-se a criação geral ex: pássaros, flores, homens etc.. Letra e música de Wilson Tirapelli.
No ano de 1991 o Bate Paus passa a desfilar como escola de samba, saindo com o enredo Jogos de Azar - referindo-se à baralhos, jogo de bicho, raspadinha, loto e outros. Letra e música de Pedro Benigno e Pestilim
1995- Mercadores de Ilusão- referindo-se Parques, Circos e Ciganos. Letra e música de Wilson Tirapelli e Juca do Olho d'agua.
1996- Lendas, Contos e Magias - referindo-se às histórias populares do Neguinho, dos Pastoreiros, do Saci -  pererê, da Vitória Régia, do Irapuru, dentre outros. Letra e música de Juca Olho d'água.
1997- Rio 2004-  referindo-se à possível realização das Olimpíadas no Brasil. A Agremiação prestigiou às diversas modalidades de esporte e os países participantes.
2000- Bate Paus rumo ao 3° milênio em busca da Paz falando do Brasil 500 anos -  referindo-se à descoberta do Brasil, acontecimentos desagradáveis tais como desmando, corrupção, roubo, miséria, violência, tráfico e com isso pedindo A PAZ no 3° milênio. Letra e música de Marquinho Bessa.
2003- Homenagem a Rádio São João por seus 55 anos - referindo-se às suas programações que marcaram gerações: Chá das Cinco, Janela Aberta, Rancho do Vieira, programas de esportes e Jornal das Dez. Letra e música de Wesley, Rogério.
2004- Os Quatro Elementos - referindo-se a terra, a água, ao fogo e ao ar. Letra e música de Gilmar.
2006- Mente sã, corpo são, o verdadeiro equilíbrio da vida - referindo-se à alimentação, esportes, alimento da alma que é a fé, enfim o cuidado do corpo humano. Letra e música de Kiko, Dezinho.
2007- Bate Paus é alegria e fantasia que contagia no reino da fantasia em noite de folia  referindo-se às historias infantis, como Branca de Neve, Rapunzel, Alice no País das Maravilhas  e Mágico de Óz. Letra e música de Kiko e Jonathan do Cavaco.2008- O morro está em festa, Bate Paus é alegria e fantasia em noite de folia comemorando 75 anos de carnaval, enredo este que completa Bodas de Diamante 75 anos de fundação. Letra e música de Kiko e Jonathan do Cavaco.
2009- Ala, La, ô a verde rosa chegou, 1000 e uma noites do pais do carnaval. Referia-se aos contos infantis de Aladim e Jasmine. Letra e Musica de Jussara, Kiko, Jonathan do Cavaco
2010- Libertas Quae... esse é o outro nome de Minas. Enredo que homenageia a Tiradentes e o centenário de Tancredo Neves. Letra e música e Kiko e Jonathan do Cavaco.
A cidade ganha um toque especial quando chega o carnaval, podemos dizer que é carnaval de todos os povos.  A frase faz parte do enredo da escola de samba Bate Paus 2011, a letra toca em belas histórias e lendas que circundam o nosso carnaval.
No ano de 1935, dois anos depois da fundação do então bloco nasceu o Senhor Jacir Agostinho Andrade, conhecido com Beleleu, podemos definir este sigiloso e nobre folião como grande defensor, admirador, Presidente Honorário, Lutador da Escola Bate Paus.
Filho do grande inesquecível Sr. João Pereira e a Sra.Dona Paulina, esposo da Sra. Sebastiana Silva Andrade, pai de 6 filhos e 10 netos, exercendo a profissão de eletricista a mais 50 anos, com toda esta responsabilidade encontra-se disposição e garra para estar sempre disponível para a Escola.
Sua inclusão na Escola foi com 12 anos de idade, na época foi introduzido como folião em uma das alas, fato que sempre marcou em suas participações. Foi no certo ano, algumas pessoas saíram fantasiadas de Boi e Vaca, chamando-se a ala de Catani, brincadeira essa que duraram alguns anos pelo fato de estar desfilando durante o dia, o Bloco apresentava na sua composição alguns instrumentos de sopro e percussão, vários estandartes e sempre a alegria contagiante que o Sr Beleu guarda em sua memória.
Beleleu atua a mais de trinta anos a frente da ala coração da escola, os batedores de pau, responsabilidade de poder estar ano a ano comandando e repassando a cultura e historia que leva o nome de nossa escola.
Foram vários e grandes fatos que marcaram sua trajetória, passaram-se 63 anos de muitas historias, sempre foi morador do bairro Senhor dos Montes e sempre foi testemunha do grande palco cultural que a Escola Bate Paus proporcionou a muitas pessoas, levando cultura, alegria e muita diversão para toda a platéia.
 

 
Número e perfil dos membros
Atualmente contamos com um quadro de 500 componentes  os quais são representantes das mais diversas áreas de nossa sociedade onde a maioria predominante são os jovens estudantis, adultos e idosos.  
Agenda Cultural
Carnaval e outras apresentações durante o ano.  
Principais problemas/dificuldades da área atuante
Nossas principais dificuldades seria construir o espaço para os ensaios que seria a Quadra para a escola e o Centro Cultural, pois já temos o terreno.  
Publicações
Fitas e Dvd\'s de alguns desfiles da escola.  
Ações
Ofinas de Percussão, Costura, Alegoria e Adereço.  
Responsável pelo órgão/cargo
Igor Luiz Sandim Gonzaga . Presidente  
Representante para contatos
Leilane Aparecida da Silva  
Público alvo para comunicação de atividades da entidade
A comunidade em geral  
Data da coleta dos dados
12 de novembro de 2007  
Responsável pelas informações
Igor Luiz Sandim Gonzaga . Presidente  
Telefones úteis da área


 

O conteúdo desse portal pode ser reproduzido, desde que citadas as fontes e os créditos.

www.saojoaodelreitransparente.com.br . Projeto, pesquisa, organização e concepção: Alzira Agostini Haddad . Todos os direitos reservados