São João del Rei Transparente

Ouvidorias

Água e Esgoto em São João del-Rei

Descrição

Mais informações
Plano de Saneamento Básico Participativo
Diretrizes nacionais para o saneamento básico
Benefícios econômicos da expansão do saneamento básico . Instituto Trata Brasil e a Fundação Getúlio Vargas (FGV)
Saneamento em Minas Gerais
São João del-Rei limpa - Eu faço a minha parte! . Atitude Cultural e Associação Amigos de SJDR

Notícias:

Copasa ganha premiação máxima em disputa nacional de avaliação da qualidade em saneamento
Governador Alberto Pinto Coelho participou da entrega do prêmio e destacou a importância de se investir constantemente no setor 

O governador Alberto Pinto Coelho participou, na noite de terça-feira (25/11), na Serraria Souza Pinto, em Belo Horizonte, da solenidade de entrega do Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento (PNQS). A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa)  recebeu a premiação máxima, o troféu Diamante. O PNQS é uma iniciativa da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes). Reconhecida pela International Water Association (IWA) como a mais importante ferramenta de gestão dos serviços de saneamento ambiental, o prêmio estimula a adoção de modelos gerenciais compatíveis com os melhores exemplos mundiais.
Este ano, 35 iniciativas de diferentes empresas do setor de todo o país foram avaliadas pela comissão julgadora. Foram conferidos prêmios em cinco níveis: Troféu Cobre, Troféu Bronze, Troféu Ouro, Troféu Prata, Troféu Platina e Troféu Diamante.
Durante pronunciamento, o governador parabenizou a Copasa e os trabalhadores da Companhia que disse ser um orgulho dos mineiros. Alberto enfatizou a obrigação constante da empresa em ampliar cada vez mais os serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário para aumentar a qualidade de vida da população.
“Realça aqui, com essa premiação, a busca da excelência e do compromisso permanente com o serviço prestado. Com certeza, o que estamos fazendo aqui é, realmente, dar aos cidadãos a condição de majestade na qualidade dos serviços prestados”, ressaltou Alberto Pinto Coelho, lembrando um artigo intitulado “A majestade, o cliente”. 

Copasa
A Companhia mineira, mais uma vez, foi a única empresa a ser reconhecida com a premiação máxima do Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento pelo seu modelo de excelência de gestão. Esse reconhecimento é concedido às organizações que atendem a maioria dos fundamentos da excelência e apresenta boas práticas e bons resultados da sua gestão.

Desde 1999, a Copasa atua fortemente na melhoria dos seus processos de gestão e da prestação dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário em Minas Gerais. Na busca pela excelência, a empresa obteve, nos últimos anos, 50 troféus do PNQS, o que promove o fortalecimento da cultura da excelência, objetivo estabelecido no Planejamento Estratégico da Companhia.
A Copasa é a primeira empresa do setor de saneamento no Brasil, como um todo, a ser reconhecida pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental pela qualidade do seu sistema de gestão.
Também participaram da cerimônia o vice-prefeito de Belo Horizonte, Délio Malheiros; o senador eleito Antonio Anastasia; o presidente nacional da Abes, Dante Ragazzi Pauli; a presidente do PNQS, Cassilda Teixeira de Carvalho; o presidente da Copasa, Ricardo Simões; entre outras autoridade.

Fonte: Crédito: Wellington Pedro / Imprensa MG . 11/2014

***

Pavimentação e Saneamento

25/10/2013

A prefeitura de São João del-Rei vai receber R$ 42 milhões e 850 mil do PAC2 para obras de pavimentação e saneamento. O anúncio foi feito hoje, em Brasília, pela Presidenta Dilma Rousseff. O Prefeito, Professor Helvécio e o Diretor do Damae, Gustavo Gastão, participaram da cerimônia.
A maior parte do recurso, R$ 42 milhões e 450 mil, vai ser investida no esgotamento sanitário e no tratamento e retirada do esgoto dos córregos e rios. O restante, R$ 400 mil, vai ser usado para a contratação de projeto executivo para a melhoria do abastecimento de água.
“Essa é uma grande conquista para o município e também para a nossa gestão porque estamos resolvendo problemas históricos na cidade. Com 10 meses de governo, já conseguimos muita coisa junto ao Governo da Presidenta Dilma. E a população pode ficar certa de que vamos continuar trabalhando e buscando recursos para melhorar cada vez mais São João del-Rei”, disse o Prefeito Professor Helvécio. 

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal de SJDR

***

Vice-governador autoriza obras de saneamento em 65 cidades

Serão investidos mais R$ 90 milhões para ampliação do abastecimentode água e esgotamento sanitário 

Mais saneamento e qualidade de vida para os municípios mineiros.  O vice-governador Alberto Pinto Coelho, assinou, na tarde desta quarta-feira (11/09), na Cidade Administrativa,  novas ordens de serviço que autorizam a Copasa a iniciar as obras de ampliação e melhorias dos sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário. Serão realizadas obras em 65 municípios.
Os recursos fazem parte do maior programa de investimento em saneamento da história do Estado, o Água da Gente, lançado pelo Governo de Minas no ano do cinquentenário da Copasa, serão aplicados em cidades das regiões Norte, Noroeste, Sul e Centro-Oeste, além da Região Metropolitana de Belo Horizonte.
“O grande alcance do Programa Água da Gente prevê investimentos que visam a qualidade da água, mas, fundamentalmente, propicia a  coleta e o  tratamento do esgoto. Dados da Organização Mundial de Saúde mostram que, para cada real investido em saneamento, os governos economizam quatro reais em custos no sistema de saúde”, ressaltou Alberto Pinto Coelho. 
A meta do Água da Gente é beneficiar 15,2 milhões de mineiros diretamente com obras de abastecimento de água e outros 10 milhões com obras de esgotamento sanitário. De  acordo com o diretor-presidente da Copasa, Ricardo Simões, desde o lançamento do programa, em março deste ano, já foram liberados mais de R$ 400 milhões.
“O Água da Gente é um programa ambicioso e nescessário para o desenvolvimento de Minas Gerais, que propõe levar para a população água tratada e devolvê-la ao meio ambiente nas mesmas condições”, afirmou Simões.
O prefeito de Serranópolis de Minas, Wagner Danilo  Mendes Teixeira, destacou a importância do programa e da parceria com o governo de Minas. “Com programas como o Água da Gente, Minas está avançando e fica cada vez melhor o trabalho do governo do Estado e de suas empresas. O exemplo disso  são os serviços desenvolvidos pela Copasa”, concluiu. 

Municípios que assinaram convênio nesta quarta-feira (11/09)

Águas Vermelhas

Ibiracatu

Nova Lima

Araçuaí

Itacarambi

Nova Porteirinha

Ataléia

Itaobim

Novorizonte

Belo Horizonte

Itinga

Padre Paraíso

Bonito de Minas

Jaíba

Pai Pedro

Cachoeira de Pajéu

Janaúba

Patis

Camanducaia

Januária

Pedra Azul

Capelinha

Japonvar

Pedras de Maria da Cruz

Capitão Enéas

Juvenília

Ponto dos Volantes

Caputira

Lontra

Porteirinha

Catuti

Mamonas

Prudente de Morais

Comercinho

Manga

Riacho dos Machados

Cônego Marinho

Martinho Campos

Santa Cruz de Salinas

Coronel Murta

Mata Verde

São João da Ponte

Curral de Dentro

Matias Cardoso

São João das Missões

Divisa Alegre

Mato Verde

São Joaquim de Bicas

Divisópolis

Medina

Serranópolis de Minas

Espinosa

Miravânia

Taiobeiras

Fruta de Leite

Montalvânia

Varzelândia

Funilândia

Monte Azul

Verdelândia

Gameleiras

Monte Formoso

Virgem da Lapa

Guarda-Mor

Montes Claros

 

***

Tiradentes terá R$9 mi para saneamento básico . 2011
Copasa realizará as obras que devem iniciar em agosto

Na semana em que se discute as questões ambientais em todo país, a administração municipal de Tiradentes comemora a notícia de que receberá recursos na ordem de R$9 milhões da Copasa para construir todo o sistema de saneamento básico da cidade.
A informação foi passado pelo prefeito do município, Nilzio Barbosa, que lembra que esse é um anseio antigo da população. “Poder ter saneamento básico adequado é um grande ganho para nossa cidade. Ganha é a população, com saúde, e o turista com um tratamento de esgoto ecologicamente correto”.
A previsão é que a obra comece em agosto e termine, no máximo, 28 meses depois do início da construção. Segundo o gerente do Distrito da Estrada Real da Companhia de Saneamento Básico de Minas Gerais (Copasa), Wilson Milani, o recurso de R$9 milhões é apenas para construção do sistema, mas no todo a empresa deve gastar mais. “Esse valor é só da construção, mas se formos contar com a elaboraçao do projeto e aquisição de terrenos, teremos um investimento de pouco mais de R$10 milhões”, explicou.
Milani informou ainda que atualmente a companhia ainda está na fase de escritura da área para solicitar o licenciamento ambiental. “Precisamos de autorização do Instituto Estadual de Florestas (IEF) para conseguir a escrituração do terreno que já iremos instalar as estações de tratamento em um local não urbano. Depois solicitaremos a licença ambiental junto à Fundação Estadual do Meio Ambiente (FEAM)para podermos iniciar as obras”, afirmou o gerente sem querer antecipar quais serão os locais se instalação das estações.
“Estamos em processo de negociação para regularização dessas áreas. Já escolhemos os locais que agora se encontram na fase de escrituração. Para conseguir a documentação precisamos, junto aos IEF, a aprovação desses locais. Como está na zona rural, a Copasa precisa disponibilizar uma parte do terreno para proteção ambiental. É exatamente nessa fase que nos encontramos”, disse.
Apesar de ter ciência de ser um processo lento para adquirir essa documentação, Milai acredita que em agosto as obras irão começar. “Já solicitamos esse licenciamento. Sabemos que é uma etapa demorada, mas estamos procurando otimizar o prazo para conseguir estar com as obras licitadas já no princípio do segundo semestre”.

Concessão
A Copasa acabou de assinar um contrato de programa com o município de Tiradentes para prestação de serviço. A companhia renovou o serviço de fornecimento de água para mais 30 anos e, a partir de agora, se tornou responsável também pelo serviço de coleta e tratamento do esgoto sanitário.

Copam
O gerente Wilson Milani lembrou ainda que a Deliberação Normativa (DN) nº 096/06, de 12 de abril de 2006, do Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) convoca os municípios para fazerem o tratamento do esgoto e que os prazos já foram extrapolados.
De acordo com a DN, Tiradentes já deveria estar com a licença para a construção do sistema de esgotamento, mas, segundo o prefeito Nilzio Barbosa, o município não possuía recurso para arcar com a obra e, por isso, na assinatura da nova concessão com a Copasa a empresa passou a assumir a questão do esgoto na cidade. “Não tínhamos dinheiro para realizar esse empreendimento. Com a Copasa responsável pela área de esgoto estaremos preparados para receber os turistas na Copa de 2014”, comemorou.

Fonte: Gazeta de SJDR, 11 de Junho de 2011

***


ESA é mais uma alternativa de abastecimento . Empresa de Saneamento de SJDR

Enquanto a Câmara de Vereadores não toma uma decisão entre o Departamento Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Damae) e a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), alternativas vão sendo preparadas pela sociedade civil. Após a ideia de oferecer uma Parceria Público Privada (PPP), apresentada pelo diretor do Damae Jorge Hannas, a Associação de Moradores e Amigos de São João del-Rei está terminando uma proposta de reestruturação da autarquia. Trata-se da Empresa de Saneamento de São João del-Rei (ESA), que incorporaria os funcionários efetivos do Damae e teria uma estrutura organizacional mais enxuta. 
A Amas del-Rei vem preparando, há três anos e meio, documento contendo a estrutura administrativa, Plano de Cargos e Salários, Estatuto dos Funcionários, Regulamentação e Projeto de Lei para a possível aprovação da ESA. “A empresa é uma proposta de incorporação e aperfeiçoamento do Damae, em uma estrutura enxuta e viável”, avaliou o vice-presidente da ESA, Edmílson Salles. 
Para que a ideia saia do papel, o prefeito Nivaldo José de Andrade precisa encaminhar a Lei de Incorporação à Câmara Municipal. “Vamos divulgar a proposta entre as associações de bairro. Pretendemos conseguir o apoio da população para que o prefeito mande o projeto para a apreciação dos vereadores”, afirmou Edmílson Salles.

Obrigações 
Segundo Edmílson Salles, o objetivo da ESA não é lucrar, visto que a empresa não é privada e mantém o município como gestor de seus mananciais. As intenções prioritárias são: o efetivo atendimento à população, o aprimoramento permanente da prestação dos serviços públicos de sua competência e o trabalho em conjunto com o Conselho da Cidade, Prefeitura Municipal, Câmara de Vereadores e demais instituições ligadas ao setor. 
A empresa cuidaria do tratamento de água e esgoto, além de resíduos sólidos e limpeza urbana, que a Prefeitura terceirizou e ainda teria a responsabilidade de apreender animais soltos pela rua. 

Finanças e servidores 
Com relação à estrutura administrativa, “a ESA assume e recebe todos os direitos e obrigações anteriormente atribuíveis ao Damae, de qualquer natureza inclusive civil, fiscal, social e trabalhista”, contou Edmílson Salles. E acrescentou: “Estão previstos 276 funcionários, entre eles, advogado, assistente social, biólogo, engenheiro civil, engenheiro eletricista, engenheiro mecânico, geólogo e veterinário.

Aresa 
O Conselho das Cidades defende que, independente da empresa que assumir o saneamento básico da cidade, seja criada a Agência Reguladora de Saneamento Municipal (Aresa). A instância fiscaliza as prestações e a comercialização dos serviços públicos de saneamento. Isso inclui o controle da estrutura das tarifas aplicadas aos serviços, com a verificação do cumprimento de normas, do equilíbrio econômico-financeiro e a qualidade dos serviços prestados. 

A ESA reestruturaria o Damae, trazendo uma alternativa ao saneamento básico de São João del-Rei

Fonte: Folha das Vertentes . 1ª quinzena de novembro de 2010

***

Falta de saneamento coloca em risco população de São Sebastião da Vitória

No Distrito de São Sebastião da Vitória em São João del Rei não temos saneamento básico para a população local de 5 mil habitantes, colocando em risco a saúde destes habitantes e do município sede. Encontramos um abandono irresponsável.
Fonte: Instituto Apoiar


São João del-Rei perde 7 milhões de litros de água por dia

As preocupações com a rede de esgoto são muito recorrentes na população e no governo, e agora, com o período de chuvas esse problema se torna mais evidente. Após a obra na Rua Paulo Freitas ter começado, em mais ou menos 30 dias, as atenções se voltaram para a atuação do Departamento Municipal de Água e Esgoto (Damae) na cidade.

Obra do Damae na Rua Paulo Freitas durou cerca de 30 dias - Foto: GazetaObra do Damae na Rua Paulo Freitas durou cerca de 30 dias – Foto: Gazeta

Em entrevista com um morador da Travessa Augusto Goddi, José Godi, a obra começou na sua rua que fica perpendicular com a Paulo Freitas. “Só que eles perceberam que o problema não era aqui. Estava na Paulo Freitas, o que fez as máquinas serem deslocadas para lá e aumentar o tempo da obra”, disse.
A questão levanta um problema antigo do departamento que já foi palco de muita discussão política, jurídica e entre a população. O Damae está com dívidas de aproximadamente R$15 milhões com a Cemig, segundo o atual diretor Gustavo Gastão, e ainda precisa refazer toda sua rede de água e rede de esgoto. Mas de acordo com Gastão, os investimentos para solucionar só os problemas da rede de esgoto, giram em torno de R$ 40 milhões, recurso que ele pretende buscar no Ministério das Cidades. Enquanto o pagamento da dívida sairá dos cofres do próprio departamento. “Teremos uma reunião com o presidente da Cemig e com o prefeito, para entrarmos em acordo sobre o valor exato da dívida e uma forma de parcelamento. O Damae não tem como pagar toda a dívida de uma só vez” disse.
Para começar essas melhorias será necessário a elaboração de um projeto que já está sendo realizado por uma empresa especializada na área e contratada ainda na gestão passada. “O projeto propõe a construção de uma nova rede, já que a que temos está deteriorada em alguns pontos”, afirmou Gastão.

Obras
José Cleto Pelegrinari, outro morador da Paulo Freitas, mostrou a insatisfação com a demora das obras. “Isso já era para ter acontecido há muito tempo, temos um problema crônico com o esgoto aqui na rua desde o mês de novembro, e só agora eles resolveram atacar o problema. Estávamos vivendo com o mau-cheiro e o risco de doenças, ligamos várias vezes para o Damae, mas só agora, depois de mais ou menos dois meses, eles resolveram nos dar uma solução”, disse ele, insatisfeito com a demora da obra que durou aproximadamente 30 dias, porém aliviado com a resolução do problema. De início, o diretor do departamento, Gustavo Gastão, esclareceu o que está sendo feito no local e confirmou que o problema já existia, dizendo que “essa é uma ação que já estava planejada. Foi feita uma interceptação da rede no local, que já apresentava problemas, como vazamento de esgoto, há tempos. O esgoto foi movido de lá e jogado para um lugar mais perto da praia”, explicou. Sobre outras ações do Damae, o diretor ainda afirmou que já estão sendo feitas obras no bairro Bonfim e no Matosinhos, onde dois buracos já estão abertos.

Esgoto
Gastão e o diretor do setor de esgoto do Damae, Antônio José dos Santos, afirmam que em um primeiro momento, o trabalho do departamento é emergencial, e prioriza os locais com pontos mais debilitados da rede. Gastão explica que para solucionar de maneira mais simples, rápida e eficaz os problemas da cidade, eles recorrerão à implantação de PV’s. “A rede de esgoto é contínua, então recorreremos a esses poços de visita (PV’s). São saídas, construídas verticalmente em pontos estratégicos da rede, vedadas por uma tampa de ferro. Quando identificarmos um problema, esses poços possibilitarão que uma pessoa entre com uma sonda, e resolva, sem que seja preciso quebrar a rua, e fazer toda essa bagunça”, disse o diretor.
Mas esses poços de visita não são o único projeto do departamento, Gastão pontua a existência de planos para solucionar os transtornos com a rede de esgoto e com a distribuição de água na cidade. Há um projeto, já em sua fase final de aprovação na Prefeitura, que prevê a criação de uma nova rede de esgoto na cidade e será entregue até o final do mês de março, segundo o diretor do Damae. “O projeto visa construir uma nova rede. A partir desse levantamento, faremos uma licitação para ver qual empresa irá realizar as obras propostas no projeto. O que é antigo e não será reutilizado será abandonado em baixo da terra”, afirmou o diretor.
Além dessa nova rede de esgoto, também será construído uma estação de tratamento do esgoto. “Uma equipe de engenheiros irá comprovar a eficácia do projeto. Se ele não estiver de acordo com o que é preciso no município, a empresa contratada deverá reavaliar e fazer as mudanças necessárias até que seja totalmente viável. Só para a contratação do projeto, o Governo Federal disponibilizou aproximadamente R$1 milhão, do qual a empresa já recebeu R$ 500 mil”, disse Gastão.

Água
Ainda sobre os projetos, o diretor informou que para resolver os problemas de água do município, eles começarão a fazer diagnósticos do sistema, como monitorar a vazão e os mananciais. Visando detectar os pontos com mais dificuldade de recebimento de água. Aumentando a pressão da água para que residências em pontos mais altos tenham acesso a água. “Queremos também aumentar a oferta de água e não em alguns horários específicos como acontece hoje. Mas tudo está sendo estudado”, disse Gastão.

Ele afirmou ainda que o esperado é fazer com a água o mesmo que fizeram com o esgoto, contratar um projeto que resolva os problemas, mas isso ainda ficará para a posteridade.

Mapeamento
O Damae não tem, hoje, nenhuma espécie de mapa ou programa de toda sua rede, o que muitas vezes, pode prejudicar o trabalho da equipe. Santos diz que eles pretendem colocar no papel a localização exata da rede. “Tem 18 anos que trabalho no Damae e o conhecimento da rede completa foi passado a mim pelo filho de um dos fundadores do departamento, que é falecido. Precisamos de um planejamento porque isso não pode ficar somente na minha cabeça. Assim estamos trabalhando para colocar tudo no papel”,  afirmou ele. Gastão explicou que o departamento da Universidade Federal de São João del-Rei acabou de adquirir um equipamento chamado de GPR, que consiste em um sonar que é capaz de captar qualquer objeto a 20 metros de profundidade. “A aquisição desse equipamento, segundo ele, poderá ser um grande avanço para o mapeamento da rede. Vamos buscar uma parceria com a universidade”, finalizou.

***

Ainda sem solução o destino da água e esgoto em São João del-Rei

O plenário da Câmara de Vereadores de São João del-Rei ficou lotado no dia 1º de junho. O motivo de tamanha movimentação foi a possível votação do Projeto de Lei que autoriza o Executivo Municipal a firmar um convênio de cooperação com a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), para administrar o serviço de água e esgoto da cidade. Porém, o documento não entrou em pauta. Representantes da estatal devem fazer sua explanação, naquela Casa, na próxima terça-feira, dia 8.
Durante a sessão, o diretor do Departamento Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Damae), Jorge Hannas Salim, comunicou, na tribuna livre, que uma proposta de Parceria Público Privada (PPP) deve ser apresentada nos próximos 15 dias. A presidente Jânia Costa Pereira da Silveira (PTB) disse que o projeto Copasa é a única alternativa apresentada. Segundo ela, o tempo está curto e nada foi feito. “Em 2008, já deveríamos estar com 60% do esgoto tratado. Começamos a discussão no ano passado e, até agora, não chegou nada em relação à PPP. O que temos em mãos é o projeto Copasa”, afirmou Jânia Costa. 
A presidente contou que o projeto Copasa não entrará na pauta antes da explanação a ser feita por representantes da estatal e uma conversa com funcionários do Damae. “Já ouvimos o Hannas e convidamos a Copasa para se apresentar aos vereadores na próxima terça-feira, dia 8. Mas não temos certeza de sua presença nessa data, em função do feriado”, adiantou a vereadora. 
Jânia Costa ressaltou que a Câmara Municipal busca opções e explicações para votar de modo consciente. “Estamos abertos aos debates e a novas propostas antes de colocar o projeto em votação. Pelo estudo prévio que fizemos de PPP, não sei se o Damae teria a possibilidade de firmar essa parceria, porque precisaria entrar com 51% do valor. As opções são válidas, porque nosso prazo está vencendo e poderemos perder verba do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), se nada for feito”, informou. 

Alternativas
Mais duas opções serão apresentadas, em breve, à Câmara dos Vereadores. Uma é a PPP, anunciada por Jorge Hannas na tribuna e a outra, que sugere a instalação de outra empresa pública, está sendo elaborada pela Associação de Moradores e Amigos de São João del-Rei (AMAS del-Rei). 
“Dentro de 15 dias, vamos finalizar a preparação do projeto de PPP. A intenção é fazer uma Audiência Pública para apresentar o resultado. A Câmara está aberta aos debates, tenho certeza que chegaremos a um bom projeto para São João”, informou Hannas. 
“Defendemos outra empresa pública municipal, com uma outra forma de gestão, para substituir o Damae. Sem uma administração austera, a população não tem confiança no Departamento. Foram feitas isenções, inclusive para ricos. Somos contra a Copasa e a PPP. Entendemos que água não é para dar lucro”, argumentou Air de Resende, presidente da AMAS del-Rei. 

Opiniões
A sessão da Câmara teve acaloradas participações do público. A presidente chegou a cogitar a possibilidade de encerrá-la por falta de ordem. As pessoas gritavam “Fora Copasa!” e entoaram um coro reivindicando o plebiscito. “Não dá para fazer um plebiscito porque há mais de 60% de inadimplentes. É questão de inteligência e matemática. São João chegou ao seu limite. Queremos que nos apontem novos caminhos”, disse Jânia Costa. 
Muitos líderes de instituições e movimentos sociais estavam na plateia. O presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Leonardo Silveira, contou que o partido se posiciona a favor de uma nova empresa pública municipal. “Fechamos uma resolução no partido ano passado, defendendo uma reformulação no Damae. Do jeito que está não concordamos, mas têm que ser feitos todos os esforços para salvar o Departamento antes de vendê-lo. Somos contra uma provável PPP, porque não houve discussão suficiente. O município não tem uma receita líquida mínima para celebrar o contrato”, comentou Leonardo. 
O Sindicato dos Servidores Municipais (SindServ) se posiciona a favor de um plebiscito. “Queremos que se consulte a população antes de qualquer votação dessa Câmara. Ainda não conhecemos o projeto da PPP e da Copasa. Precisamos ouvir ambas as partes para tomarmos posição”, afirmou o presidente Mauro Pedro Alves. 
O morador do Barro Preto, Luiz Ribeiro, conhecido como Maradona, frequentador assíduo da Câmara, se posiciona a favor do Departamento. “O Damae é nosso. Se provarem que não tem jeito, deveríamos partir para a PPP. Mas, antes de tudo, tem que se ouvir o povo, porque os vereadores, agora, não têm condições de decidir nada. O que vemos da Copasa é um serviço de péssima qualidade, como foi feito na Colônia do Marçal e no Barro Preto”, opinou Maradona. 
O presidente do PSOL, João Bosco Lopes, afirma que essas sessões e debates são jogos de cena e que a PPP já estaria, previamente, conversada. “Acho que isso aqui é um teatro. Jorge Hannas propõe a PPP, com o aplauso de seus funcionários. Mas a PPP também fará demissões em massa. Uma posição coerente, hoje, é ser contra a Copasa e a PPP. Apoiamos a criação de uma empresa pública, a estatização da água”, opinou João Bosco. 


A plateia acompanhou as discussões e se manifestou com gritos como “O povo que paga e deve decidir!” A presidente chegou a cogitar a possibilidade de encerrar a sessão por falta de ordem

Fonte: Folha das Vertentes . 1ª quinzena/junho/2010

***

Segundo o Diretor da Escola Estadual Dr. Garcia de Lima o esgoto dentro da escola corre a céu aberto há muito tempo e já comunicou ao DAMAE através de vários ofícios e nenhuma providência foi tomada até hoje.
Fonte: Insituto Apoiar 

Água escorrendo pelas ruas preocupa moradores do Senhor dos Montes

Problemas com a rede de água, sob responsabilidade do Departamento Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Damae), vem trazendo transtorno aos moradores do bairro Senhor dos Montes, em São João del-Rei. Além de riscos à população, há água vazando até do lado da Capela do Senhor dos Montes, patrimônio histórico que já teve sua estrutura abalada por causa da umidade.
A presença de vários buracos nas ruas do bairro preocupa os moradores, que estão apreensivos com a água minando em diversas vias. Do maior dos buracos, localizado nos cruzamento das ruas Joaquim Borges da Silva e Emílio Viegas, escorre água por várias ruas, chegando até mesmo às voltas da capela local.
De acordo com o presidente interino da Associação do Bairro Senhor dos Montes, Mauro da Paixão Natividade, o Damae não faz manutenção naquele bairro há uns três meses. “Já entramos em contato, falei com o encarregado de obras, e até hoje não houve retorno”, afirma. Mauro Natividade ainda chama a atenção para o desperdício de água ocasionado pelos buracos: “Enquanto aqui a água vaza noite e dia, há pessoas que podem estar sem água em suas casas”, disse.
Malvina Cabral Ávila Castro, proprietária de uma mercearia no local com maior vazamento de água, comentou que tem receio de passar pelas ruas molhadas. “Eu mesma, que tenho problemas de coluna, tenho medo de escorregar e cair nessa água”.
Ainda segundo os moradores, a água vazando pelas ruas oferece riscos, também, às crianças matriculadas na Escola Estadual Idalina Horta Galvão e no Pré-escolar Municipal Polichinelo, localizados na região. De acordo com o presidente da Associação de Bairro, a água forma lodo em frente às escolas, deixando a rua escorregadia para as crianças.

Igreja do Senhor dos Montes
A Capela do Senhor do Bom Jesus dos Montes, patrimônio tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), fica no meio do problema enfrentado pelos moradores. “A água que escorre pela rua se infiltra pelas pedras da pavimentação, que pode vir a afundar devido ao tráfego pesado no local”, denunciou Mauro da Paixão.
A igreja um dos pontos turísticos da cidade, já sofreu recentemente com os males do excesso de umidade, quando parte de uma parede lateral da construção desabou devido às chuvas, em janeiro. 

Fonte: Folhas das Vertentes, 2ª quinzena de junho de 2011

***

Mais informações
Destino do esgoto
Programa oferece pagamento para tratar esgoto
Objetos inusitados são encontrados em esgoto de São João del-Rei
Agência Reguladora de Abastecimento de Água e Esgoto Sanitário de MG
São João del-Rei limpa - Eu faço a minha parte! . Atitude Cultural e Associação Amigos de SJDR
Compartilhar Imprimir

ESSE PORTAL É UM PROJETO VOLUNTÁRIO. NÃO PERTENCE À PREFEITURA DE SÃO JOÃO DEL-REI.
Contribua ajudando-nos a atualizar dados, ações, leis, agenda cultural etc. Todos os créditos serão registrados.