São João del Rei Transparente

Ouvidorias

Saúde . São João del-Rei e região

Descrição

Conselho Municipal de Saúde . São João del-Rei
Programa Saúde da Família
Exemplos de atitudes que contribuem ou lesam a saúde, o patrimônio ou a paisagem e economia urbana
Escola de Saúde Antonina Neves . Santa Casa da Misericórdia de São João del-Rei
Vigilância Sanitária: cuidando de sua saúde . Patrícia Alves Torga
8ª Conferência Municipal de Saúde em São João del-Rei . 2010
Palestra . Sobre como é gasto o dinheiro da Saúde em São João del-Rei
Carta dos direitos dos usuários da saúde . Ministério da Saúde
Portal da Saúde . Ministério da Saúde
Afeto faz bem para a saúde e previne doenças
Saúde Brasil

Mais informações:

Qual a diferença entre planta medicinal e fitoterápico?
As plantas medicinais são aquelas capazes de aliviar ou curar enfermidades e têm tradição de uso como remédio em uma população ou comunidade. Para usá-las, é preciso conhecer a planta e saber onde colher e como prepará-la. Quando a planta medicinal é industrializada para se obter um medicamento, o resultado é o fitoterápico. O processo de industrialização evita contaminações por microorganismos, agrotóxicos e substâncias estranhas, além de padronizar a quantidade e a forma certa que deve ser usada, permitindo uma maior segurança de uso. Os fitoterápicos industrializados devem ser registrados no Anvisa/Ministério da Saúde antes de serem comercializados. 

O que não é considerado fitoterápico?
Chá: No Brasil, os chás são enquadrados como alimentos.

Homeopatia: Os medicamentos homeopáticos são produzidos de forma diferente dos fitoterápicos, através de dinamização. Neste tipo de terapia, são também utilizados, além de princípios ativos de origem vegetal, outros de origem animal, mineral e sintética.
Partes de plantas medicinais: As plantas medicinais são consideradas matérias-primas a partir do qual é produzido o fitoterápico. As plantas medicinais podem ser comercializadas no Brasil em farmácias e ervanarias, desde que não apresentem indicações terapêuticas definidas, seja feito um acondicionamento adequado e declarada sua classificação botânica.
Farmácias de manipulação podem produzir fitoterápicos?
Sim. As farmácias de manipulação têm permissão para manipular medicamentos e entre eles, os fitoterápicos, lembrando que os produtos dessas farmácias não são registrados na Anvisa. Um fitoterápico pode ser manipulado se for prescrito em uma receita ou se sua fórmula constar na Farmacopéia Brasileira, no Formulário Nacional ou em obras equivalentes.

Os fitoterápicos podem fazer mal à saúde?
Como qualquer medicamento, o mau uso de fitoterápicos pode ocasionar problemas à saúde, como por exemplo: alterações na pressão arterial, problemas no sistema nervoso central, fígado e rins, que podem levar a internações hospitalares e até mesmo a morte, dependendo da forma de uso. 

Quais as precauções que devem ser tomadas em relação aos fitoterápicos?
* Buscar informações com os profissionais de saúde;
* Informar ao seu médico qualquer reação desagradável que aconteça enquanto estiver usando plantas medicinais ou fitoterápicos;
* Observar cuidados especiais com gestantes, mulheres amamentando, crianças e idosos;
* Informar ao seu médico se está utilizando plantas medicinais ou fitoterápicos, principalmente antes de cirurgias;
* Adquirir fitoterápicos apenas em farmácias e drogarias autorizadas pela Vigilância Sanitária;
* Seguir as orientações da bula e rotulagem;
* Observar a data de validade – Nunca tomar medicamentos vencidos;
* Seguir corretamente os cuidados de armazenamento;
* Desconfiar de produtos que prometem curas milagrosas. 

Como saber se um fitoterápico é registrado na Anvisa/ Ministério da Saúde?
Verifique na embalagem o número de inscrição do medicamento no Ministério da Saúde. Deve haver a sigla MS, seguida de um número contendo de 9 a 13 dígitos, iniciado sempre por 1. Há a possibilidade de consultar o registro do produto no site da Anvisa

Ao encontrar um produto sendo vendido como fitoterápico que não tenha registro na Anvisa, você deve comunicar a Vigilância Sanitária de seu Estado ou Município, ou denunciar à Anvisa.

Fonte: Anvisa

Remédios piratas são vendidos nas ruas do Maranhão

***

Foto de PNEUS recolhido pelo ECOPONTO, sediado a RUA AMARAL GURGEL,62, MATOZINHOS, atrás do CRAS.  Segundo o morador do bairro que enviou a foto para o nosso portal em abril de 2015, criadouro de DENGUE no bairro com maior índice da doença na CIDADE. 

***

Farmácia itinerante na Zona Rural

Levando saúde para todos os lugares!

Já está funcionando a Farmácia Itinerante na Zona Rural de São João del-Rei. O projeto inovador foi criado pela Secretaria Municipal de Saúde, com o objetivo de facilitar o acesso a medicamentos nos distritos, evitando, assim, que o paciente precise se deslocar até a cidade para ir à Farmácia Básica.
O projeto funciona da seguinte forma: um farmacêutico faz a entrega de medicamentos nas Unidades Básicas dos distritos de Emboabas, São Gonçalo do Amarante, Caquende e Arcângelo e nos PSFs de São Sebastião da Vitória e Rio das Mortes.
Nas Unidades Básicas, o profissional acompanha a agenda médica e faz a entrega do medicamento logo após a consulta. Nos PSFs, ele vai uma vez por semana: no Rio das Mortes, toda terça-feira e em São Sebastião da Vitória, toda sexta-feira. O usuário só precisa levar a receita para retirar o remédio.
A Farmácia Itinerante foi criada porque, por lei, nenhuma unidade de saúde pode ter medicamentos sem que haja um farmacêutico, sendo assim, esses locais ficaram sem o serviço, o que causava muito transtorno para a população que tinha que viajar para poder retirar remédio gratuito. A Secretaria de Saúde, sempre atenta às necessidades da população, encontrou na Farmácia Itinerante o caminho para seguir a lei e beneficiar o usuário. 
Para a cidade, onde também há pessoas que têm dificuldades para ter acesso à Farmácia Básica no centro, está prevista a criação de farmácias de apoio para decentralizar o serviço. 

Fonte: Assessoria de Comunicação de Secretaria de Saúde de SJDR . Nov de 2013 . (32) 8897-8729

***

Governo de Minas vai entregar veículos para São João del-Rei e região
Serão entregues 9 micro-ônibus que vão compor o Sistema Estadual de Transporte em Saúde (Sets)

O secretário adjunto de Saúde de Minas Gerais (SES), Francisco Tavares e a chefe de Gabinete da SES, Marta Sousa Lima, estarão em São João del-Rei nesta sexta-feira (3), às 15h, para entregar aos moradores da região 9 micro-ônibus. Um investimento de mais de R$ 1,7 milhão. Estes veículos vão compor o Sistema Estadual de Transporte em Saúde (Sets).
A entrega dos veículos faz parte da política de renovação da frota destinada ao transporte entre municípios de pacientes do SUS em Minas. Os veículos irão beneficiar os 15 municípios pertencentes ao Consórcio Intermunicipal de Saúde das Vertentes (Cisver), que engloba uma população de mais de 113.062 mil habitantes.
Os 9 micro-ônibus têm capacidade para 26 assentos. São equipados com ar condicionado, poltronas reclináveis e televisão. Sua atividade será monitorada por satélite, prevenindo qualquer desvio de rota que são previamente fixa. Dentro do veículo um agente de saúde oferece suporte aos pacientes durante a viagem. Em 2013 serão investidos mais de R$ 24 milhões na implantação e na gestão do transporte em saúde no Estado por meio do SETS. Atualmente 482 municípios são beneficiados pelo programa.
Os municípios que integram o Cisver são Barroso, Conceição da Barra de Minas, Coronel Xavier Chaves, Ibituruna, Itutinga, Lagoa Dourada, Madre de Deus de Minas, Nazareno, Piedade do Rio Grande, Prados, Resende Costa, Ritápolis, Santa Cruz de Minas, São Tiago e Tiradentes. 

Fonte: Agência Minas . 05/2013

***

Vistoria aponta 140 irregularidades na saúde
Por Gazeta de São João del-Rei em 04/05/2013

As Unidades Básicas de Saúde (UBS) pedem socorro em São João del-Rei. Além de problemas recorrentes, como a demora em marcar exames e consultas através do Sistema Único de Saúde (SUS), um relatório divulgado na sexta-feira, 26 de abril, mostrou outras facetas preocupantes: a avaliação dos serviços médicos oscilou entre boa e ruim, com equipamentos básicos em falta e, não bastasse, médicos com baixos salários compensados com jornada reduzida de apenas duas horas.
A Unidade Básica de Saúde da Colônia do Marçal foi uma das vistoriadas por instituto de Brasília (DF)

“É um absurdo com consequências gravíssimas para o atendimento público. Os médicos acabam tendo a manhã livre para atuarem nos consultórios particulares, vão aos postos no horário de almoço, ficam ali por pouco tempo e depois seguem novamente para outras atividades privadas. O Estado é deixado de lado pelos profissionais nesse regime de trabalho e a população fica no mesmo lugar que ele”, comentou o diretor de comunicação do Movimento De Olho na Justiça, Antônio Linhares.
A vistoria é resultado de iniciativa da Associação dos Movimentos Sociais, Moradores e Amigos (Ammas) de São João del Rei. “Participamos de um encontro em Brasília (DF) e, quando soubemos que o IFC viria a Minas, pedimos que incluísse São João. Foi um trabalho excepcional e logo o realizaremos em outras secretarias”, disse o presidente do grupo, Air Rezende.

Resultados
Segundo diagnóstico do Instituto de Fiscalização e Controle (IFC), 140 irregularidades foram encontradas em 13 unidades vistoriadas pela equipe, vinda de Brasília. O trabalho de verificação foi feito durante a Caravana da Cidadania, que passou também por Januária e Diamantina (MG).
No caso de São João del-Rei, as visitas aconteceram nas unidades dos bairros Bonfim, Guarda-Mor, São Geraldo, Senhor dos Montes, Matosinhos, Tijuco, Bom Pastor, Colônia do Marçal e Giarola. Desse grupo, apenas três tiveram estruturas e condições físicas consideradas boas: São Geraldo, Senhor dos Montes e Giarola. O posto de saúde do Bonfim não recebeu a classificação, bem como o da Colônia do Marçal. As outras oito foram qualificadas como ruins.
Dentre as defasagens graves apresentadas pelo IFC estão a falta de equipamentos básicos como autoclaves para esterilizar artigos médicos. Sem o item, funcionários das unidades são obrigados a improvisar para diminuir o impacto negativo, gerando flagras como a utilização de uma panela de pressão, no Giarola, para a realização do processo.
Macas ginecológicas, estetoscópios, medidores de pressão, pinças, materiais para curativo e até de limpeza também apareceram como demandas urgentes, além de acessórios para o trabalho dos agentes de saúde, como uniformes e bonés. “Já estávamos cientes de tantos problemas, mas essas mudanças não acontecem da noite para o dia. Não há mágica. É preciso avaliar, planejar, gerir bem para transformar essa realidade. No entanto, não podemos negar que o trabalho do IFC nos estimula ainda mais a reagir, mostrando uma urgência absoluta em muitos pontos, incluindo em relação a recursos humanos. Não vai ser fácil”, explicou a secretária municipal de Saúde, Maria das Mercês Oliveira.
O prefeito Helvécio Reis (PT) também falou sobre o assunto. “No primeiro momento o que fizemos foi aumentar os repasses para a área de Saúde em R$200 mil. Investir para mudar as questões mais imediatas. Agora começa a imersão, o estudo para decidir quais estratégias e quais transformações vão acontecer de fato”, disse.

LEI
O ex-prefeito municipal, Nivaldo Andrade (PMDB), não foi encontrado para falar sobre a jornada reduzida dos médicos, mas o secretário responsável pela pasta da Saúde na gestão dele, José Marcos de Andrade, comentou o caso.
Segundo ele, a situação se arrasta desde o segundo semestre de 2008, na administração do então prefeito Sidney de Sousa (PHS), quando uma Lei Municipal foi sancionada reduzindo o tempo de atuação dos profissionais pelo SUS.
“Havia uma discussão quanto aos salários, mas o município não podia arcar com eles. A solução, na época, foi cortar horas”, explicou Andrade. De acordo com o ex-secretário, quando a administração seguinte assumiu o Executivo, mudar a situação era inviável. “Por isso a manutenção da lei, o que não significa que não tenhamos trabalhado para reverter o quadro”, disse.
A Gazeta também entrou em contato com o ex-prefeito, Souza, que alegou não se lembrar da lei em detalhes e nem dos problemas que levaram a ela. “Prefiro não me manifestar sobre isso”, finalizou.

***

Saúde é realinhada para aperfeiçoar atendimento em SJDR

Com a abertura da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) d São João del-Rei no último sábado, 2, o sistema de prestação dos serviços em saúde do município foi realinhado. As mudanças já eram previstas, mas foram acordadas em duas reuniões: uma no dia 21 de junho outra na terça-feira, 5, com propostas reafirmadas. A partir de agora, enquanto a UPA recebe pacientes para atendimento de urgência e emergência, o Hospital de Nossa Senhora das Mercês passa a ser centro de referência em Traumato-Ortopedia e a Santa Casa do município se transforma em receptora de serviços em Obstetrícia dentro do Sistema Único de Saúde (SUS).
A proposta foi feita no dia 21 e reafirmada na última terça-feira pelo Governo de Minas através da Secretaria Estadual de Saúde (SES) representada pelo secretario Antônio Jorge de Souza e pelo coordenador estadual de Urgência e Emergência, Rasivel dos Reis Santos Júnior. Com isso foram resolvidos os impasses entre as casas de saúde e a administração municipal de São João del-Rei no que diz respeito às contrapartidas financeiras para retaguardas hospitalares. A partir de julho, portanto, SES libera R$100 mil mensais para o Hospital e RS180 mil para a Santa Casa, antecipando esquema que seria implantado apenas em novembro deste ano com a chegada do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) ao município.
Para o secretário municipal de saúde, José Marcos Ferreira de Andrade, com esse acordo as casas e saúde  a UPA estarão integradas. “Dessa forma iremos ter um serviço com maior qualidade para atender a população”, disse o secretário. 

Nova estrutura
Segundo o diretor-técnico do Hospital Nossa Senhora das Mereces, Calos de Abreu, a instituição passa a garantir, a partir de agora, plantão presencial em clínica médica, anestesia, ortopedia e sobreaviso de cirurgião geral. “Houve m readaptação em relação ao SUS. Com isso agora disponibilizamos um plantonista clínico e outro ortopedista todos os dias e noites. Foi uma grande modificação que estabeleceu fluxos definidos e definitivos para o atendimento à população, que a partir de agora sabe onde procurar atendimento com quais recursos poderá contar. Em caso de um acidente com traumatismo, por exemplo, os bombeiros também já sabem para qual instituição devem transportar a vítima”, explicou Abreu. O diretor-técnico da Santa Casa, Luiz Antônio Neves de Resende, frisou os atendimentos conveniados. “Os convênios continuam a funcionar da mesma forma e o sistema clínico das casas de saúde também continua igual. As alterações foram feitas no que diz respeito à urgência e emergência. Os primeiros atendimentos devem ser eitos na UPA, mas os casos de maior gravidade ou situações de internação continuarão sendo encaminhados para nós”, explicou Resende. Com a nova estrutura a Santa casa garante plantão presencial em obstetrícia, clínica médica, cirurgia geral e anestesia, além de sobreaviso em pediatria. Segundo o diretor-técnico da instituição, nos próximos dias será decidida, também, a possibilidade de sobreaviso em neurocirurgia e cirurgia vascular.

Fonte: Gazeta de SJDR, 9 de Julho de 2011

***

Bairro Bonfim terá nova Unidade Básica de Saúde
Governo de MG investiu R$180 mil na unidade

Um investimento de R$675 mil para a atenção primária de saúde em São João del Rei de 2006 até hoje. São esses os valores que o Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Saúde, está investindo na cidade com a construção de Unidades Básicas de Saúde (UBSs). O próximo bairro a ser contemplado com essas melhorias será o Bonfim, que na próxima quarta-feira, 29, terá sua unidade reaberta.
A nova UBS, orçada em torno de R$250 mil, sendo que desse total R$180 mil foram disponibilizados pelo Governo de Minas Gerais, passa a funcionar com uma melhor infraestrutura e com mais uma equipe do Programa Saúde da Família (PSF).
O secretário municipal de Saúde, José Marcos de Andrade, explica que a ampliação da equipe do PSF foi devido à expansão de residências nessa região. "A nova equipe será composta por um médico, uma enfermeira, duas técnicas de enfermagem e sete agentes comunitários de saúde. Cada PSF vai atender em torno de quatro mil pessoas. Essa segunda equipe atenderá Vila Brasil, as casas do conjunto habitacional Marechal Cyro Espírito Santo Cardoso. Enfim, toda essa região sem atendimento", explicou.
Além desse valor, a Secretaria de Estado de Saúde irá liberar no segundo semestre a primeira parcela de um total de R$345 mil para a construção de uma UBS tipo 2 no Bairro Colônia do Marçal. A gerente de atenção primária da secretaria, Eliane Nobre, afirma que o secretário estadual Marcus Pestana destacou a importância do atendimento no primeiro ponto de atenção. "A atenção primária precisa de suporte e o secretário compreende essa necessidade e está investido para que os municípios melhorem esse atendimento. O apoio financeiro do Governo de Minas na construção e ampliações das UBSs é para que a população seja atendida em um local adequado", disse Eliane.
A gerente lembra que o investimento de R$675 mil do Governo de Minas, só em São João del Rei, é para aperfeiçoar o atendimento básico dos sanjoanenses, mas que a prefeitura pode entrar com uma contrapartida para melhorar o projeto. "Foi o que aconteceu com a UBS do Bonfim, em que o município entrou com uma contrapartida em torno de R$100 mil. Estamos construindo unidades primárias com infraestrutura para dar qualidade ao atendimento da população".
O secretário municipal de Saúde afirma que a nova unidade no Bonfim conta com dois consultórios, sala de vacina, dois banheiros, sala de curativo, sala para dois consultórios odontológicos, um local para ensinar crianças a realizarem higienização bucal, sala de pré-consulta de enfermagem, sala de reunião de agentes, expurgo e esterilização de material, vestiário para funcionários, copa, almoxarifado e banheiros em todos os consultórios.
José Marcos de Andrade afirma ainda que devido a essas ampliações, a prefeitura irá realizar, nos próximos meses, processo seletivo para médico de PSF e concurso público para especialidades médicas. "Aguardamos o parecer do procurador do município para publicar o edital. A FAUF será responsável pelas provas. A intenção é que até outubro estejam todos homologados e contratados", afirmou.

Fonte: Gazeta de São João del-Rei . 25/07/09

***

O lado perverso da Medicina 
Depoimento de um cidadão ao Conselho Municipal de Saúde de São João del-Rei . Problemas no atendimento médico

Ver vídeo

Existe um compromisso muito especial assumido entre o médico e o paciente, independente da condição de profissional liberal, autônomo, ou prestador de serviços de um plano de saúde, convênio, hospital ou serviço público. O médico compromete-se a oferecer ao paciente o melhor conhecimento, considerando que, a seu alcance, existam os recursos necessários para diagnóstico e tratamento.
A Medicina, por lidar com o bem mais precioso, que é a vida, muitas vezes gera expectativa de resultados infalíveis de tratamento e cura. Mas a prática médica, como qualquer atividade humana, está sujeita a erros, obstáculos e dificuldades que muitas vezes são imprevisíveis e incontroláveis.
Alguns problemas no atendimento médico podem eventualmente resultar em danos à vida ou à saúde do paciente, seja pela ação ou pela omissão do médico. Quando ocorrem, esses problemas acontecem em situações específicas, caracterizadas por imperícia, imprudência ou negligência.
No primeiro caso, o da imperícia, o médico pode cometer algum equívoco por desconhecimento, inexperiência, falta de habilidade ou de observação às normas técnicas. A imprudência, no exercício da Medicina, é caracterizada quando o profissional descuida, pratica uma ação sem a devida cautela, por esquecimento, às pressas ou de forma precipitada.
A ação por omissão, com desleixo ou falta de cuidado, como a  não prescrição correta, ou assistência inadequada ao paciente, é identificada como negligência do profissional. Essas situações que podem dar origem a processo disciplinar nos Conselhos de Medicina não podem ser confundidas com procedimentos que fogem ao controle do médico, a saber:

Resultado adverso
Quando o profissional empregou os recursos adequados obtendo resultados diferentes do pretendido. A adversidade é decorrente de situação incontrolável, própria da evolução do caso ou quando não é possível para a ciência e para a Medicina prever quais pessoas, em quais situações, terão esse resultado indesejado. O resultado adverso, embora incontrolável, muitas vezes pode ser contornável pelo conhecimento científico e habilidade do profissional.

Acidente imprevisível
Pode acontecer durante o ato médico, em procedimentos de diagnóstico ou de tratamento; pode estar ligado a anomalias ou variações, anatômicas ou funcionais, ou ao tipo de resposta do organismo do paciente. É difícil para o leigo discernir, com clareza, o que seja acidente em procedimento médico, para se convencer de que não se trata de um erro.

Complicação
É o aparecimento de novo fenômeno no curso do tratamento, a exemplo de uma nova doença que agrava o quadro clínico. O paciente nem sempre encara como tal e, ocasionalmente, pode interpretar a situação  como decorrente da culpa do médico que, na visão dele, paciente, poderia ter sido evitada. Um dos exemplos mais comuns é a infecção hospitalar, que independe da competência médica e ocorre mesmo nos serviços e hospitais de melhor qualidade onde circulam portadores de diferentes patologias.             

O que aumenta os riscos de problemas no atendimento médico?
- falta de recursos humanos, materiais e equipamentos nas unidades e serviços de saúde;
- número excessivo de pacientes e pouco tempo dedicado a cada um, seja na consulta ou na internação;
- restrições de coberturas, limitações de atendimentos e exames por arte dos planos privados de saúde;
- más condições de trabalho e de remuneração do médico; acúmulo de empregos e atividades; aumento de tensão e estresse profissional; falta de tempo para se dedicar ao aprimoramento profissional;
- deficiências do ensino médico, assim como a autorização de abertura e funcionamento de cursos de Medicina sem as mínimas condições de formar bons médicos.

Fonte: http://www.cremesp.org.br/?siteAcao=PublicacoesConteudoSumario&id=14

***

Semana de Saúde, Saneamento e Meio Ambiente em São João del-Rei

O Conselho Municipal da Cidade - CONCIDADE realizou, em abril e maio de 2008, a  1ª Rodada  Técnica de Acompanhamento da Implementação do Plano Diretor Municipal de São João Del-Rei.  Os resultados foram avaliados pelo CONCIDADE, com apoio técnico do Projeto Ecocidades, coordenado pela Profa. Dra. Patricia Almeida Ashley, no âmbito do Departamento de Ciências Administrativas e Contábeis da  UFSJ

Com base na avaliação dos resultados da rodada técnica, o CONCIDADE aprovou, em 03 de julho de 2008,  a resolução 005/2008, autorizando o Poder Executivo Municipal a encaminhar revisão das metas para  a efetivação dos instrumentos de implementação do Plano Diretor Municipal para o período de 2008 a 2013. Os resultados estão disponíveis no site do Projeto Ecocidades em www.ecocidades.org.

 O CONCIDADE  também aprovou a realização da Semana de Saúde, Saneamento e Meio Ambiente, tendo identificado a necessidade de maior interação e integração das políticas públicas municipais em saúde, saneamento e meio ambiente em vista de sua complementaridade, relevância e urgência para avanços na gestão pública local.

Neste sentido, foi  organizada esta  Semana de  Saúde, Saneamento e Meio Ambiente em São João Del-Rei,  visando apresentar em que situação se encontram os estudos, diagnósticos e políticas públicas em saúde, saneamento e meio ambiente em São João del-Rei, de forma a implementar as diretrizes e instrumentos de planejamento previstos no Plano Diretor Municipal de São João Del-Rei.

O público-alvo da Semana de Saúde, Saneamento e Meio Ambiente compõe-se de servidores públicos, conselheiros municipais, agentes políticos, da sociedade civil e de segmentos do setor privado envolvidos com saúde, saneamento e meio ambiente. Espera-se uma ampla difusão e discussão das ações governamentais em saúde, saneamento e meio ambiente, com ênfase nas condições institucionais para uma boa governança local e modernização institucional para a gestão das políticas públicas em São João Del-Rei.

Fonte e mais informações:  Projeto Eco-cidade em Verbo-Ação na Serra do Lenheiro
Compartilhar Imprimir

ESSE PORTAL É UM PROJETO VOLUNTÁRIO. NÃO PERTENCE À PREFEITURA DE SÃO JOÃO DEL-REI.
Contribua ajudando-nos a atualizar dados, ações, leis, agenda cultural etc. Todos os créditos serão registrados.