Pesquisas

Em busca da sustentabilidade . O caminho da Responsabilidade Social Empesarial na América Latina e a contribuição da Fundação AVINA

Faça o download do documento: Em_busca_da_sustentabilidade.pdf

Resumo

O estudo Em busca da sustentabilidade. O caminho da Responsabilidade Social Empresarial na América Latina e a contribuição da Fundação AVINA expõe as últimas três décadas em matéria de responsabilidade social empresarial, com foco na evolução regional e nos primeiros anos do século XXI.
A investigação começa com uma Linha do Tempo que possibilita observar os marcos que definem o  movimento da RSE na América Latina. Abrange o desenvolvimento de organizações e redes, conceitos e ferramentas, destacando aqueles nos quais a AVINA teve participação.
O estudo desenvolve-se em três partes: Parte I, “O caminho percorrido”; Parte II, “A contribuição da Fundação
AVINA”; Parte III, “Em busca da sustentabilidade”. A elaboração de cada uma delas baseou-se em fontes documentais e em depoimentos de 76 especialistas em RSE de 17 países, consultados em 2010.
O trabalho foi realizado por uma equipe de consultoria dirigida por Mercedes Korin, com supervisão da Fundação AVINA.
A Parte I, “O caminho percorrido”, relata os inícios da RSE na América Latina e as particularidades dessa região, para depois aprofundar-se na temática através de três “eixos de evolução” concebidos para este estudo (Organizações e Redes, Conceitos e Ferramentas), e também indagar sobre as mudanças no comportamento empresarial e social.
O eixo Organizações e Redes refere-se a atores de diversos âmbitos que promovem a RSE. Foram incluídas
desde entidades que buscam a RSE como fim específico (geralmente associações empresariais) até as que incluem a temática em outros objetivos (como as instituições acadêmicas). Abrange também as articulações entre atores, institucionalizadas em redes temáticas, territoriais, de um âmbito de desempenho em particular ou multiatorais. O eixo Conceitos refere-se às definições instaladas, que vão da filantropia à sustentabilidade, e aos mecanismos de divulgação (eventos, publicações, meios especializados), que foram se diversificando e ganhando espaço. Por último, o eixo Ferramentas refere-se aos instrumentos de medição e gestão da RSE, em seus modelos tanto integrais quanto específicos (finanças, meio ambiente, entre outros).
A Parte I termina com uma pesquisa sobre as mudanças de comportamento. A respeito do setor privado, busca-se determinar as principais motivações para a mudança, e são apresentados dados e estatísticas que
refletem o aumento do número de empresas que aderem a princípios, padrões e modelos de relatórios de
sustentabilidade internacionais, embora isso não tenha se refletido até agora em uma melhoria nos índices
de competitividade responsável da região. Com relação às mudanças em outros atores da sociedade, apresenta-se um leque de posturas sobre a RSE, que vai da adesão a espaços multiatorais dedicados à temática e à aproximação de organizações da sociedade civil a este conceito (por meio do monitoramento
de práticas empresariais, verificação externa de relatórios de sustentabilidade, parcerias para o  desenvolvimento sustentável) até a distância existente com a temática por parte dos consumidores que, quando manifestam interesse, costumam traduzi-lo em sua decisão de compra.
A Parte II, “A contribuição da Fundação AVINA”, começa com a visão de Stephan Schmidheiny sobre o potencial transformador do desenvolvimento e da articulação de lideranças sociais e empresariais e, alinhada
a essa concepção, sobre a criação, primeiro, da AVINA e, depois, da VIVA Trust (fideicomisso formado pela
AVINA e pelo Grupo Nueva).
A segunda seção da Parte II descreve as estratégias de intervenção da AVINA para o desenvolvimento da
RSE abordadas sob o ponto de vista de seus enfoques centrais (capital social e financiamento), além dos principais serviços da organização relativos à disseminação da temática e as características da AVINA que
constituíram um diferencial. A seguir, classificam-se as iniciativas promotoras da RSE do ponto de vista da contribuição a cada eixo de evolução do movimento. No eixo Organizações e Redes, as iniciativas que buscaram a formação, o fortalecimento, a articulação e as estratégias de funcionamento, o lançamento, a
estruturação, o financiamento, a evolução e a expansão territorial de organizações. Dentro do eixo Conceitos
estão incluídas as estratégias de promoção da RSE em eventos, publicações, levantamentos e difusão de boas práticas; fomento do diálogo e da participação; apoio à pesquisa, prêmios e certames; divulgação
na mídia, e capacitações. No eixo Ferramentas foram investigadas as modalidades de intervenção da AVINA que constituem uma contribuição para o desenvolvimento de instrumentos de autorregulação, certificações, indicadores, guias e índices, além de modelos de implementação, incluindo a geração de casos inovadores. Após esse trajeto pelas estratégias da AVINA, apresenta-se o impacto da organização no desenvolvimento da RSE na América Latina segundo a qualificação dos entrevistados para este estudo, com uma sistematização quali-quantitativa que assinala sua incidência como “Alta”, além de uma série de sugestões realizadas à AVINA quanto a objetivos e estratégias para a RSE e a sustentabilidade.
A Parte III, “Em busca da sustentabilidade”, está dividida em duas seções: “Aonde chegamos hoje” e “Aonde podemos chegar amanhã”. Na primeira, detalha-se o cenário atual da RSE na América Latina, considerando as características próprias da região; analisa-se a temática sob o ponto de vista dos âmbitos de promoção da RSE, com pormenores sobre a posição de empresas, organizações de RSE, instituições acadêmicas, organizações da sociedade civil, meios de comunicação, governo e público em geral; e descreve-se a abordagem atual da Fundação AVINA a respeito do papel das empresas nas agendas de desenvolvimento sustentável, incluindo a enumeração de algumas iniciativas realizadas nesse marco.
A segunda seção da Parte III oferece uma reflexão sobre a necessidade de um novo modelo, considerando que existe uma plataforma favorável para uma mudança de paradigma, embora seja preciso direcionar os que ainda não se iniciaram em uma cultura de gestão responsável. A seguir, apresentam-se sinais e oportunidades do que pode ser um caminho possível para alcançar essa mudança: a consolidação da região; o desenvolvimento de soluções inovadoras e efetivas; a implementação de mecanismos objetivos de prêmios
a condutas responsáveis e de castigos às irresponsáveis; o empoderamento social; a articulação, a integração
e as parcerias globais; e a passagem de uma atitude reativa das empresas a uma atitude proativa.
As seções que completam este estudo são: Metodologia; “Um ponto de vista”, como encerramento, que inclui comentários sobre o processo em que se deu esta pesquisa; fontes documentais e também uma lista de acrônimos e siglas das organizações mencionadas. Os anexos contêm: a lista de especialistas entrevistados e suas representatividades quanto a países, âmbitos de desempenho e vínculo com a AVINA; dados sobre a metodologia da entrevista e da pesquisa de opinião; uma Linha do Tempo que atravessa a década de 2000, além da contribuição da AVINA apresentada em algumas publicações.


O conteúdo desse portal pode ser reproduzido, desde que citadas as fontes e os créditos.

www.saojoaodelreitransparente.com.br . Projeto, pesquisa, organização e concepção: Alzira Agostini Haddad . Todos os direitos reservados