São João del-Rei | Tiradentes | Ouro Preto
Transparentes

ser nobre é ter identidade

Publicações

Tipo: Artigos | Cartilhas | Livros | Teses e Monografias | Pesquisas | Lideranças e Mecenas | Diversos

Escopo: Local | Global

 

O pequeno-grande mundo de Otto Lara Resende

Descrição


O escritor era especialista em criar frases irreverentes, entre elas “O mineiro só é solidário no câncer”, citada numa peça de Nelson Rodrigues, mesmo enquanto Otto negava a autoria

“Uma criança vê o que o adulto não vê. Tem olhos atentos e limpos para o espetáculo do mundo. O poeta é capaz de ver pela primeira vez o que, de fato, ninguém vê. Há pai que nunca viu o próprio filho. Marido que nunca viu a própria mulher, isso existe às pampas. Nossos olhos se gastam no dia-a-dia, opacos. É por aí que se instala no coração o monstro da indiferença.”
Vista Cansada – Otto Lara Resende

As aulas teóricas da disciplina Oficina de Produção de Texto: Crônica Jornalística renderam um delicioso projeto. O professor doutor Guilherme Jorge de Rezende, responsável pela disciplina oferecida no curso de Letras da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), fez-nos mergulhar no universo das crônicas jornalísticas, para que conhecêssemos as características deste gênero textual genuinamente brasileiro. Após leituras teóricas e também de várias crônicas, o professor propôs que desenvolvêssemos um projeto limitado ao tema, e que pudesse ser aplicado nas escolas ou mesmo na comunidade são-joanense. Várias coincidências levaram-nos a embasar nosso projeto na obra do incrível Otto Lara Resende e fizeram-nos querer incitar outras pessoas a também se apaixonar pelos textos do autor. 
Otto de Oliveira Lara Resende completaria 88 anos no último dia 1º de maio. Nascido em São João del-Rei, o quarto filho do casal Antônio de Lara Resende e Maria Julieta foi professor de Francês como o pai, mas mudou-se muito cedo para a capital do Estado. Ao mesmo tempo em que lecionava, Otto era funcionário público e estudante de Direito. Com o passar dos anos, o escritor fez muitas amizades grandiosas e, inclusive, teve como um de seus melhores amigos o grande dramaturgo Nelson Rodrigues. Desde que estreou na imprensa em 1940, nunca mais parou de trabalhar como jornalista, tendo chegado a editar o suplemento literário do Diário de Minas. Já no Rio de Janeiro, onde viveu por muitos anos, trabalhou, entre outros lugares, no Diário de Notícias, O Globo, Última Hora, Manchete e na TV Globo, onde estreou seu programa diário O pequeno mundo de Otto Lara Resende. 
Além de jornalista e cronista, Otto foi membro da Academia Brasileira de Letras, escreveu vários contos e um romance, chamado O Braço Direito (1964), reescrito e republicado por seu criador perfeccionista. O escritor era, ainda, especialista em criar frases irreverentes, entre elas “O mineiro só é solidário no câncer”, citada numa peça de Nelson Rodrigues, mesmo enquanto Otto negava a autoria. Ele faleceu no dia 28 de dezembro de 1992, quando ainda era cronista do jornal Folha de São Paulo. 
O projeto definiu-se, então, na distribuição de panfletos à comunidade acadêmica do campus Dom Bosco e afixação de cartazes, ambos contendo a biografia do escritor, além de uma de suas mais belas crônicas Vista Cansada, retirada da coletânea organizada pela Companhia das Letras Bom dia para Nascer (1993). Temos a esperança de que, após a realização do projeto, mais pessoas conheçam e se encantem tanto quanto nós pela obra de Otto Lara e que fique a consciência de que é extremamente importante olharmos à nossa volta e enxergarmos de verdade o que insistimos em não ver. 

Xênia Luiza Silva e Priscilla Webber Jaffar – 5º período de Letras da UFSJ

Fonte: Folha das Vertentes . 1ª quinzena de junho de 2010

Cadastre lideranças engajadas, sua ação sociocultural, seu projeto, produto, entidade, pesquisa, agenda cultural etc - contribua, complemente, ajude a atualizar, curta e compartilhe!

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Instagram Imprimir

ESSE PORTAL É UM PROJETO VOLUNTÁRIO. NÃO PERTENCE À PREFEITURA MUNICIPAL | CADASTRE GRATUITAMENTE A SUA AÇÃO SÓCIOCULTURAL