São João del Rei Transparente

Melhores Práticas

Tiradentes no Ano Internacional das Florestas . Luiz Cruz

Descrição

A cidade de Tiradentes se mobilizou para celebrar e marcar o Ano Internacional das Florestas, através de suas organizações não governamentais, com o apoio das instituições oficiais.
Quando o Brasil se prepara para votar o Novo Código Florestal, visando uma das mais fortes e articuladas pressões sobre as florestas brasileiras, colocando em risco uma série de conquistas obtidas com o Código Florestal de 1934, a ONU escolheu 2011 para registrar suas atenções pelo mundo afora sobre a necessidade de se preservar as florestas. Provavelmente, o Novo Código Florestal será aprovado em Brasília, porque o povo brasileiro não participou do processo e nem se interessou pelo tema. Porém, a nova legislação trará ao País uma série de problemas como a redução das APP – Área de Preservação Permanente, a redução das matas ciliares, a redução do habitat da fauna e conseqüentemente o aumento da possibilidade de extinção de espécies.

O empobrecimento do solo e a redução dos recursos hídricos. Influenciará na ocupação de áreas de risco de desmoronamentos, mesmo já tendo registros em estados diferentes de calamidades por ocupações indevidas. Também será um instrumento para aumentar ainda mais a violência no campo e poderá incentivar uma das mais lamentáveis práticas das grandes monoculturas pelas áreas devastadas: o trabalho escravo. Com o Novo Código Florestal o Brasil entra definitivamente na contra-mão da história da preservação ambiental.

As florestas cobrem 31% de toda a área terrestre do planeta e têm responsabilidade direta na garantia da sobrevivência de cerca de 1,6 bilhões de pessoas e de 80% da biodiversidade terrestre. Em pé, as florestas são capazes de movimentar cerca de U$ 327 bilhões todos os anos, mas infelizmente as atividades que se baseiam na derrubada das matas ainda são bastante comuns em todo o mundo. Pela importância que têm para o planeta, elas merecem ser mais preservadas e valorizadas e, por isso, a ONU declarou que 2011 será o Ano Internacional das Florestas e é uma ótima oportunidade para refletirmos sobre nossa atuação em defesa das florestas brasileiras.
A programação do Ano Internacional das Florestas em Tiradentes visa chamar atenção para a Serra de São José, que é constituída por três ecossistemas distintos: Mata Atlântica, Campo Rupestre e Cerrado. A serra já é uma APA – Área de Proteção Ambiental e um Refúgio Estadual de Vida Silvestre e está em processo de tombamento federal pelo IPHAN, desde 1979, talvez o processo mais longo já ocorrido. Faz fundo à paisagem de Tiradentes, que é tombada desde 1938, a Serra de São José é a maior área verde de um raio de mais de 50 km e abriga expressiva biodiversidade. As ONGs de Tiradentes têm realizado diversas campanhas para conscientizar as comunidades dos municípios que estão inseridos na área da serra para ajudarem na sua proteção.

Agora estão lançando uma campanha para alertar aos motoristas que circulam pelas estradas no entorno da Serra de São José para evitarem o atropelamento dos animais silvestres, que em sua maioria circula à noite. Temos registrado um grande número de atropelamentos. Quando vemos dois olhos na estrada, com a luz forte do farol o animal fica estático e morre atropelado. Para evitar que animais silvestres sejam atropelados é muito fácil: basta piscar o farol e buzinar. Assim, o animal conseguir fugir. Com apenas alguns segundos conscientes, pode-se salvar uma animal silvestre do atropelamento.
Especialmente no período de reprodução, os animais saem para caçar e ao serem atropelados deixam seus filhotes abandonados, correndo risco de morrem por fatores diversos, inclusive a fome.

A programação do Ano Internacional das Florestas em Tiradentes será aberta no dia 30 de outubro, com um passeio ciclístico à Caixa D’Água, no antigo trecho da linha do trem, quando ia até a cidade de Antônio Carlos. É uma oportunidade para contemplar a bela paisagem da Serra de São José. Haverá uma oficina de cultivo de orquídeas, palestras e plantio de árvores. O Corpo de Bombeiros Voluntários, o Núcleo Orquidófilo Serra de São José, o Instituo Cultural Biblioteca do Ó, a Fundação Rodrigo Mello Franco de Andrade/UFMG, a COPASA, a Polícia Militar, Prefeitura de Tiradentes e o SESI – Centro Cultural Yves Alves estão apoiando a iniciativa.
Ser global, antes de mais nada, é ser local, estamos realizando nossa parte.

Luiz Cruz - Professor, sócio fundador do Corpo de Bombeiros Voluntários de Tiradentes e Vice-Presidente do Centro Cultural Yves Alves
Compartilhar Imprimir

ESSE PORTAL É UM PROJETO VOLUNTÁRIO. NÃO PERTENCE À PREFEITURA DE SÃO JOÃO DEL-REI.
Contribua ajudando-nos a atualizar dados, ações, leis, agenda cultural etc. Todos os créditos serão registrados.