São João del Rei Transparente

Melhores Práticas

FAOP-Fundação de Arte de Ouro Preto

Descrição

Faop: 45 anos de história, arte e preservação
Fundação de Arte de Ouro Preto é reconhecida por seu trabalho em nome do patrimônio cultural de Minas Gerais

O ano de 1968 transformou o mundo em um palco de revoluções culturais, políticas e sociais e ressignificou ideologias. Nesse tempo, o Brasil vivia dias do mais forte autoritarismo pelo endurecimento da ditadura militar e inflamou-se no clamor e na luta pela volta da liberdade de expressão.
Em meio à repressão dos anos de chumbo, floresce uma ideia em Minas Gerais. Contagiados pela cidade de Ouro Preto - espaço fora dos grandes centros e de aglutinação cultural - o poeta Vinícius de Moraes, a atriz Domitila do Amaral, o escritor Murilo Rubião e o historiador Afonso Ávila idealizaram a implantação de um espaço para produzir e estudar arte, semeando um novo olhar em tempos árduos. Assim nasceu a Fundação de Arte de Ouro Preto (Faop), inspirada pelo desejo de que a arte pudesse ser de todos e para todos.
Movida por esse ideal, a Faop empenhou-se em oferecer um leque variado de cursos de arte, e incorporou à sua estrutura, no ano seguinte à sua criação, a Escola de Arte Rodrigo Melo Franco de Andrade (Earmfa), criadas pelos artistas Nello Nuno e Annamélia Lopes.
Pensando mais além, o restaurador Jair Afonso Inácio teve a iniciativa de organizar junto à Earmfa o primeiro curso para a formação de conservadores e restauradores no Brasil. Curso que, ao logo de seus trabalhos e ações, se consolidou pela excelência e se tornou o primeiro curso técnico em Conservação e Restauro reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC). 
 
Tradição
 
A Fundação de Arte de Ouro Preto (Faop) atua por meio de políticas públicas, parcerias sociais, comunitárias e educativas, realizando ações de conservação, restauração, fazeres tradicionais e da arte contemporânea em seus mais diversificados suportes e linguagens. Para tanto, possui quatro casas do século XIX inseridas no Caminho Tronco de Ouro Preto: o Complexo Cultural Casa Bernardo Guimarães, o Núcleo de Arte, o Núcleo de Conservação e Restauração e o Núcleo de Ofícios. Por meio delas, promove o acesso à cultura e à arte e concretiza o compartilhamento de práticas, experimentos e vivências. 
Ao considerar a cultura uma ferramenta essencial à construção da identidade individual e coletiva e um meio eficaz na promoção da cidadania, a Faop democratiza e promove a participação social. Dessa forma, realiza seminários temáticos para promover a reflexão, o intercâmbio de ideias e experiências nas áreas de preservação de bens culturais e da produção de arte. O seminário “ArteHoje” e o seminário internacional “Patrimônio Cultura: Conservação  e Restauração no Século XXI”, em suas sétimas edições em 2013, e o seminário de “Ofícios Saberes e Fazeres: do tradicional ao contemporâneo”, em sua segunda edição, são exemplos que agregam conceito, formação e pessoas no cenário cultural.
Ao longo de sua história, a Fundação vem promovendo e divulgando ações culturais, não só em âmbito local, como também nacional e internacional, pela produção da arte contemporânea. Por essa razão, a Faop é um dos maiores celeiros de profissionais ligados à conservação, restauração e preservação de bens móveis e imóveis do país, sobretudo do Barroco. “Preservamos com consciência, qualidade e expertise o patrimônio de Minas Gerais”, destaca a presidente da instituição, Ana Pacheco. 
A partir dessa base sólida, a Faop fortalece sua missão: valorizar a arte em todas as suas dimensões e incentivar a preservação do patrimônio cultural. Trabalhando para a promoção da arte e suas vertentes, há 45 anos a Fundação promove o acesso ao conhecimento nas suas mais variadas formas e realça o lugar e o papel da arte no aprimoramento da cidadania.
 
Inscrições abertas
 
Já se preparando para as atividades do próximo ano, a Fundação de Arte de Ouro Preto divulgou na última semana edital para o processo seletivo do curso técnico em Conservação e Restauro 2014, oferecido pelo Núcleo de Conservação e Restauração da Escola de Arte Rodrigo Melo Franco de Andrade (Earmfa), com 20 vagas são oferecidas. O curso técnico é reconhecido por preparar profissionais para atuação nos mais relevantes espaços de restauração do país. 
Reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC), o curso, com 90% de seus alunos formados inseridos no mercado de trabalho, possui estrutura sólida e conta com um qualificado corpo docente composto por 19 professores e ateliês equipados que trabalham com acervos de papel, escultura policromada e pintura de cavalete. 
Com a finalidade de formar profissionais técnicos capacitados para analisar, diagnosticar e intervir em bens culturais móveis, o curso possui grade curricular total de 1552 horas e seu processo de ensino aprendizagem alia fundamentação teórica e o trabalho prático para a formação completa dos discentes. “Formamos profissionais com capacidade de devolver à comunidade o acervo histórico devidamente restaurado, como imagens sacras, quadros e documentos”, enfatiza Ana Pacheco. 
As inscrições para o processo seletivo, no valor de R$50,00, devem ser realizadas pelo site da Faop, até o dia 12 de janeiro de 2014. As provas serão realizadas no dia 18 de janeiro, sábado, das 9h às 12h, em local a ser informado até o dia 16 de janeiro. Para se inscrever, os interessados devem ter o 2° ano do ensino médio concluído ou em andamento. O exame de seleção se realizará por meio de questões objetivas de língua portuguesa, química e pela elaboração de uma redação dissertativa. As aulas serão ministradas no período matutino e aos sábados, com possibilidade de aulas extras à tarde, e têm início previsto para 10 de fevereiro de 2014. Outras informações: www.faop.mg.gov.br.

Fonte: Agência Minas . 30/11/2013
Compartilhar Imprimir

ESSE PORTAL É UM PROJETO VOLUNTÁRIO. NÃO PERTENCE À PREFEITURA DE SÃO JOÃO DEL-REI.
Contribua ajudando-nos a atualizar dados, ações, leis, agenda cultural etc. Todos os créditos serão registrados.