São João del Rei Transparente

Ouvidorias

Acidentes de trânsito provocam impacto de R$ 3 bilhões na economia mineira

Descrição

 Estudos apontam que os acidentes de trânsito, além da perda de vidas, da incapacitação para o trabalho, entre outros problemas, causam um impacto negativo de R$ 3 bilhões na economia mineira. Nesta Semana Nacional do Trânsito, comemorada entre 18 a 24 de setembro, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) alerta para a necessidade de reversão deste quadro, focada na conscientização para a prevenção de acidentes.
“Temos que criar uma cultura preventiva, fortalecendo a educação, por exemplo. A parte médica e dos serviços de saúde têm, na verdade, uma atuação limitada, uma vez que quase 60% dos acidentes estão relacionadas às atitudes dos motoristas no trânsito”, destaca o consultor da SES e presidente do Grupo Brasileiro de Acolhimento com Classificação de Risco (GBACR), Welfane Cordeiro.
Médico com experiência em Terapia Intensiva, Welfane destaca que pesquisas internacionais recentes demonstram que entre as pessoas que falecem em virtude de acidentes de trânsito, 50% morrem instantaneamente no local. Daqueles que são encaminhados para os serviços de saúde, cerca de 35% do total de casos, o óbito ocorre nas primeiras 24 horas de internação. “Isto quer dizer que uma rede de atendimento perfeita conseguiria reduzir no máximo 50% dos óbitos. As outras mortes só podem ser evitadas por fatores alheios aos serviços de saúde”.
Em Minas, os acidentes de trânsito ocupam a quarta posição no Índice de Anos de Vida Perdidos (IAVP), estatística que relaciona a expectativa de vida da população com a idade média em que ocorrem os óbitos, podendo reduzir em até 5% a expectativa de vida, superando doenças infecciosas, hipertensivas e diabetes.
Estima-se que em Minas Gerais ocorram cerca de 120 mil acidentes por ano, destes 50 mil deixam vítimas. O resultado são as quase quatro mil mortes, 60 mil feridos anuais. “Os acidentes sobrecarregam os serviços de urgência, causando dificuldades de internação dos pacientes”, explica.

Soluções
O setor de saúde pode intervir apenas na questão do acolhimento dos pacientes que sofreram acidentes de trânsito. Para isso, o Governo de Minas vem promovendo, desde 2003, ações no sentido de estruturar uma rede de atendimento regionalizada. Um exemplo é o início da construção, em Montes Claros, do Hospital do Trauma. A obra está prevista para o próximo ano, com investimentos de aproximadamente R$ 40 milhões.
“Criamos e consolidamos a Rede de Urgência e Emergência do Norte de Minas e estamos agora elaborando o modelo para a macrorregião Centro. Desta forma estaremos mais preparados para responder às demandas de saúde provocadas pelo trânsito”, avalia o coordenador Estadual de Urgência e Emergência da SES, Rasível dos Reis Santos Júnior.
De acordo com ele, evidências internacionais demonstram que a regionalização é a melhor estratégia de intervenção. “Num estudo comparativo de 50 estados nos EUA, a mortalidade é em média 8% menor nos estados que adotam sistemas regionais de atendimento”, aponta.
Entre os objetivos estão o correto encaminhamento do paciente, ao ponto de atenção certo, para assistência mais eficaz no menor tempo possível. “Não basta encaminharmos a pessoa para o hospital mais próximo. Deve haver uma conjugação de todos estes fatores”.
Para realizar todas estas propostas, destacam-se ações como a regionalização do SAMU (192) e dos hospitais de referência, expansão de leitos de UTI e instalação de Centrais de Regulação. “No entanto devemos ressaltar que mesmo com melhoria dos recursos disponíveis, sem atuação no sentido de prevenir acidentes, não é possível desafogar o sistema de saúde”, encerrou.

Fonte: Agência  Minas, 19 de setembro de 2011

Compartilhar Imprimir

ESSE PORTAL É UM PROJETO VOLUNTÁRIO. NÃO PERTENCE À PREFEITURA DE SÃO JOÃO DEL-REI.
Contribua ajudando-nos a atualizar dados, ações, leis, agenda cultural etc. Todos os créditos serão registrados.