São João del-Rei | Tiradentes | Ouro Preto
Transparentes

ser nobre é ter identidade

Agenda Cultural

Cantata nº 109/S. Bach e Missa Pequena em Dó maior/Paulo Souza . Orquestra Filarmônica de Minas Gerais . Turnê em São João del-Rei

Data

12/04/2014

Hora

20h

Cidade

SJDR

Descrição

Turnê São João del-Rei

12 de abril SAB - 20h

Igreja de São Francisco de Assis

Na primeira turnê estadual da temporada 2014, Filarmônica de Minas Gerais apresenta-se em Tiradentes, São João del-Rei e Barroso

Em Tiradentes e São João del-Rei, Orquestra executa obras de Bach e Joaquim de Paula Souza. Em Barroso, o Quinteto de Sopros da Filarmônica interpreta Ibert, D’Rivera, Farkas, Pixinguinha e Zequinha de Abreu.
A Filarmônica de Minas Gerais inicia sua primeira Turnê Estadual de 2014 em meio à riqueza histórica de algumas das mais belas cidades do Brasil. Nos dias 11 e 12 de abril, nas cidades históricas, os concertos acontecem na Matriz de Santo Antônio de Tiradentes e Igreja de São Francisco de Assis de São João del-Rei, às 21h e às 20h, respectivamente. Em Barroso, quem se apresenta é o Quinteto de Sopros da Filarmônica, no dia 12, às 11h30, na Paróquia de Sant’Ana do Barroso. Todas as apresentações são gratuitas e com entrada limitada à capacidade das Igrejas. Em Tiradentes e São João del-Rei haverá  transmissão do concerto em frente à igreja, também com acesso limitado. Nas três cidades os ingressos serão distribuídos uma hora antes dos concertos.
Sob regência do maestro Marcos Arakaki e com participação da soprano Melina Peixoto, da alto Luciana Monteiro, do tenor Marcos Liesenberg, do baixo Misael dos Santos e do Coral Ars Nova, serão interpretadas, em Tiradentes e São João del-Rei, a Cantata nº 109, de Johann Sebastian Bach, e a Missa Pequena em Dó maior, de Joaquim de Paula Souza. Em Barroso, o Quinteto de Sopros da Filarmônica, formado por Cássia Lima, Alexandre Barros, Marcus Julius Lander, Catherine Carignan e Alma Maria Liebrecht, apresenta obras de Ibert, D’Rivera, Farkas, Pixinguinha e Zequinha de Abreu.
Os  concertos são apresentados pelo Ministério da Cultura e Governo de Minas. O Concerto de Câmara em Barroso conta também  com apresentação da Mendes Júnior  por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. 

O maestro Marcos Arakaki

Marcos Arakaki é natural de São Paulo. Bacharel em violino pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), concluiu seu mestrado em Regência Orquestral pela Universidade de Massachusetts em 2004, sob orientação do maestro Lanfranco Marcelletti. Marcos Arakaki tem conduzido importantes orquestras brasileiras, além de orquestras nos Estados Unidos, México, Argentina, República Tcheca e Ucrânia. Sua trajetória artística é marcada por prêmios como o do I Concurso Nacional Eleazar de Carvalho para Jovens Regentes, promovido pela Orquestra Petrobras Sinfônica em 2001, e I Prêmio Camargo Guarnieri, realizado pelo Festival de Campos do Jordão em 2009. Foi regente titular da Sinfônica da Paraíba e da Sinfônica Brasileira Jovem por quatro temporadas, com grande reconhecimento da crítica especializada e do público. Gravou a trilha sonora do filme Nosso Lar, composta por Philip Glass (2010), à frente da Orquestra Sinfônica Brasileira. Marcos Arakaki é Regente Associado da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, regente titular da Orquestra Sinfônica UFPB e professor visitante da Universidade Federal da Paraíba.

Sobre a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

Um dos únicos projetos mundiais de orquestra sinfônica do início do século XXI, a Filarmônica de Minas Gerais foi criada, em 2008, pelo Governo de Minas, com o intuito de inserir o Estado nos circuitos nacional e internacional da música clássica. A Orquestra entra em seu sétimo ano com a perspectiva de sede própria, a Sala Minas Gerais, atualmente em obras, que possibilitará flexibilidade na programação, além da construção de uma sonoridade própria e do desenvolvimento de novos projetos. Outro passo importante nestes sete anos é a entrada da Filarmônica no mercado fonográfico, com a gravação de seu primeiro CD comercial, pelo selo Sonhos e Sons, com a Sinfonia nº 9 de Franz Schubert, e a parceria com o selo internacional Naxos, para a registro, no momento, de obras de Villa-Lobos.
Com excelência artística, vigorosa programação e reconhecimento de três importantes premiações – prêmio Carlos Gomes de melhor orquestra brasileira, melhor grupo musical erudito pela Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA) e Prêmio Carlos Gomes de melhor regente brasileiro, recebido pelo maestro Fabio Mechetti, diretor artístico e regente titular da Filarmônica –, a Orquestra torna-se referência no Brasil e vai conquistando seu espaço internacionalmente.
Desde sua criação, a Filarmônica de Minas Gerais apresenta-se regularmente em Belo Horizonte, em duas séries no Palácio das Artes, em Concertos para a Juventude, Clássicos no Parque e Concertos Didáticos, além de realizar turnês por Minas Gerais e pelo país. Visitou cidades de todas as regiões brasileiras e mineiras, algumas delas mais de uma vez. A Orquestra também tem se apresentado na Sala São Paulo, nos teatros municipais do Rio de Janeiro e de São Paulo e participa dos principais eventos de música clássica do país, como o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, o Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora, os Concertos Paulínia e a Rio Folle Journée, entre outros. A primeira turnê internacional da Filarmônica ocorreu em 2012, com cinco concertos na Argentina e no Uruguai.
Como ações de estímulo à música, a Filarmônica de Minas Gerais promove o Festival Tinta Fresca, destinado a compositores de todo o país, e o Laboratório de Regência, atividade inédita no Brasil, que abre oportunidade para jovens regentes brasileiros.

Serviço

Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

Turnê Estadual – 11 e 12 de abril

Tiradentes

Dia 11 de abril, às 21h

Matriz de Santo Antônio

Marcos Arakaki, regente 
Melina Peixoto, soprano 
Luciana Monteiro, alto 
Marcos Liesenberg, tenor 
Misael dos Santos, baixo 
Coral Ars Nova 

J. S. BACH

Cantata nº 109

J. PAULA SOUZA          

Missa Pequena em Dó maior


Concerto gratuito. Entrada limitada à capacidade da Matriz de Santo Antônio. 

Haverá transmissão do concerto em frente à igreja, também com acesso limitado.
Informações: (32) 3355-1212

***

Barroso

Dia 12 de abril, às 11h30

Paróquia de Sant’Ana

Quinteto de Sopros                      

Cássia Lima, flauta 
Alexandre Barros, oboé 
Marcus Julius Lander, clarinete 
Catherine Carignan, fagote 
Alma Maria Liebrecht, trompa 

IBERT

Três peças breves

D’RIVERA

Aires Tropicales para Quinteto de Sopros

FARKAS

Cinco Danças Antigas Húngaras

PIXINGUINHA        

Carinhoso

ABREU

Flor amorosa

ABREU

Tico-tico no fubá


Concerto gratuito. Entrada limitada à capacidade da Paróquia de Sant’Ana do Barroso. Informações: (32) 3351-1213

*** 

São João del-Rei,

Dia 12 de abril, às 20h

Igreja de São Francisco de Assis

Marcos Arakaki, regente

Melina Peixoto, soprano

Luciana Monteiro, alto

Marcos Liesenberg, tenor

Misael dos Santos, baixo

Coral Ars Nova                

 

J. S. BACH                           Cantata nº 109

J. PAULA SOUZA              Missa Pequena em Dó maior

 

Concerto gratuito. Entrada limitada à capacidade da Igreja de São Francisco de Assis. 
Haverá transmissão do concerto em frente à igreja, também com acesso limitado.
Informações: (32) 3371-8606


***

Informações para imprensa:

Personal Press
Polliane Eliziário – polliane.eliziario@personalpress.jor.br – (31) 9788-3029
Anne Morais – anne.morais@personalpress.jor.br – (31) 9223-6076

Cadastre lideranças engajadas, sua ação sociocultural, seu projeto, produto, entidade, pesquisa, agenda cultural etc - contribua, complemente, atualize, curta e compartilhe!

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Instagram Compartilhar no Whatsapp Imprimir

ESSE PORTAL É UM PROJETO VOLUNTÁRIO. NÃO PERTENCE À PREFEITURA MUNICIPAL | CADASTRE GRATUITAMENTE A SUA AÇÃO SÓCIOCULTURAL