Organização

Associação de Parentes e Amigos dos Dependentes Químicos . APADEQ

Endereço
Rua Édipo Monteiro Castanheira, 675 . Bairro Pio XII . CEP: 36 305-326 . São João del Rei  
Telefone
032 3371-6299  
Email
Apadeq@city10.com.br  
Atividades/Serviços


Apadeq
Foto: Arquivo da APADEQ

Internação
: tem como pressuposto a voluntariedade e a motivação a buscar a recuperação. A motivação do candidato ao tratamento, bem como suas condições psico-físicas são avaliadas em entrevista feita por profissionais do centro – psicólogos, conselheiros em dependência química e médico psiquiatra. A não admissão à internação ou o encaminhamento para outras clínicas pode ocorrer em casos em que o paciente nega a se internar, em que o paciente apresente comorbidades severas que estejam além do escopo do tratamento ou em condições clínicas que represente riscos para o paciente.
Tratamento residencial:
após a entrevista de admissão, uma vez atendidos todos os critérios, inicia-se o tratamento. Trata-se de um período de 30 a 40 dias de permanência em Vila Esperança.  O paciente é acompanhado por um terapeuta que desenvolve seu Plano Individual de Tratamento. A alta depende do cumprimento de expectativas e metas individuais, associadas a mudanças de valores e conceitos. Os principais objetivos são a abstinência total de substâncias psicoativas e a mudança de estilo de vida. Durante o tratamento o residente participa de palestras, reuniões de Grupos Anônimos de Mútua Ajuda (A.A e N.A),  dinâmicas, diversas atividades terapêuticas em grupo e individuais, atividades com a família, assiste a  exibição de filmes e depoimentos. No decorrer do processo o paciente é  avaliado e monitorado por uma equipe terapêutica multidisciplinar composta por conselheiros em dependência química, médico, psicólogos e monitores,  que acompanhará o residente passo a passo.
Pós tratamento:
inicia-se após o paciente receber alta do tratamento residencial. Tem duração de 6 meses. Seu principal objetivo é ajudar o indivíduo no seu processo de reintegração social e familiar, priorizando a manutenção da abstinência total de substâncias psicoativas e o processo de reformulação do estilo de vida. Inicialmente as sessões são semanais, e vai diminuindo a periodicidade gradativamente.
Programa familiar: r
ealizado aos sábados, é uma atividade destinada aos familiares dos dependentes químicos durante o período em que se encontram internados. Visa informar, orientar e oferecer um espaço terapêutico para que possam expressar seus sentimentos e conflitos provenientes da doença e iniciem um processo em busca de qualidade de vida. Consta de palestras, atividades com o dependente químico em tratamento, depoimentos, exibição de filmes sobre a dependência química e dinâmicas de grupo.
Atendimento e tratamento ambulatorial: t
ratamento individual e de grupo, que  não implica confinamento. O paciente freqüenta sessões semanais de atendimento terapêutico. Tem como objetivos gerais: acolhimento inicial do paciente; encaminhamento do paciente para o tratamento que mais se adequar ao seu perfil diagnóstico, por meio de triagem; assistência terapêutica a  dependentes químicos e familiares. Utiliza-se de intervenção e terapia breve, de cunho informativo e de orientação.
O público atendido são pacientes que estão à espera de algum tratamento; pacientes que solicitam acompanhamento terapêutico, com o fim de iniciar ou dar continuidade ao processo de recuperação; familiares  que procuram os serviços da
Vila Esperança/APADEQ; pacientes encaminhados pelo Juizado Especial da comarca de São João Del Rei.
O contato pode ser feito via telefone direto com a psicóloga responsável que agendará os atendimentos.

Prevenção: a APADEQ tem atuado junto à sociedade regional na prevenção e no esclarecimento do problema da dependência química através de palestras informativas na comunidade, em empresas e escolas.
Desenvolveu, nos anos de 2001 e 2002, o Programa Construindo. Tinha por objetivo capacitar os professores das escolas públicas de São João Del Rei a melhor lidar com essa problemática nas escolas.
Neste ano de 2007, a APADEQ vem desenvolvendo um trabalho de grande importância – Projeto Construindo 2007 -  no Lar Solidário, uma instituição de apoio social.  

Atividades Projeto Construindo 2007: o programa de prevenção ao uso de drogas – Construindo – é uma versão inteiramente atualizada e implantada pela 1ª vez no Lar Solidário – Lar de Amparo e Promoção Humana.
Trata-se de uma conversa sobre drogas, fruto de uma parceria do Lar Solidário, APADEQ e Associação Comercial de São João del Rei-MG.
Nosso objetivo é formar gerações mais preparadas para exercer papéis  na comunidade, cidadãos aptos ao exercício de seus direitos e deveres. Pessoas capazes de reconhecer a importância de cultivar hábitos saudáveis, praticar esportes, evitar o sedentarismo, investindo na qualidade de vida.

 
Passo a passo para o cidadão ter acesso às atividades ou serviços
Todos os serviços podem ser solicitados via telefone.
O contato pode ser feito pelo dependente químico ou pela família. Os interessados receberão todas as informações pertinentes ao processo de internação ou aos serviços ambulatoriais.
A recepção da clínica funciona de segunda feira a sexta feira, das 8:00 às 18:00 h.  
Parceiros

AA - Alccólicos Anônimos e NA - Narcóticos Anônimos: desde o tratamento residencial, o paciente participa semanalmente de reuniões internas e externas de A A e NA. São grupos de ajuda mútua específicos para os dependentes químicos. São redes nacionais e internacionais, independentes e autônomas, sem conotação política ou religiosa, que representam um importante apoio no tratamento e manutenção da sobriedade pós-tratamento. Isso significa que o dependente terá um apoio, por toda a vida e em quase todo lugar que for, a um sistema gratuito que serve para apoiá-lo no seu desenvolvimento pessoal e na manutenção da sua sobriedade.

ALANON, ALATEEN, NARANON E NARATEEN: assim como AA e o NA, são grupos de ajuda mútua específicos para os familiares. Nas atividades terapêuticas os familiares são motivados a participar dos grupos.
UFSJ - Universidade Federal de São João del-Rei: através de convênio, desenvolve com a universidade trabalhos de parceria e pesquisa, principalmente com o Departamento de Psicologia dessa instituição.

 
Data de início das atividades
Fundada em 9 de fevereiro de 1988. O centro de tratamento Vila Esperança iniciou suas atividades no dia 22 de junho de 1998.  
Tipo de sustentabilidade econômica
Vila Esperança tem se mantido graças à contribuição voluntária de pessoas da comunidade de São João Del Rei e de outras cidades da região. Essas contribuições são arrecadas principalmente através de um sistema de Telemarketing mantido pela APADEQ. Embora a dependência química tenha se tornado um problema de saúde pública, o apoio governamental para a manutenção de Vila Esperança tem ser tornado cada vez menor.  
Histórico da entidade

APADEQ - Associação de Parentes e Amigos dos Dependentes Químicos é uma sociedade civil, sem fins lucrativos, sem conotação política ou religiosa, de caráter assistencial, educativo e científico, totalmente legalizada. Foi fundada por pessoas que tiveram a feliz oportunidade de se recuperar da dependência química ou de assistir e participar de um processo de recuperação de um parente ou amigo. A APADEQ foi fundada em fevereiro de 1988, em São João Del Rei, e a partir de uma concepção racional e humana da doença da dependência química.  Seus principais objetivos são a prevenção e a paralisação dessa doença, propiciando tratamento e apoio para a recuperação dos doentes e sua reintegração na sociedade. Para isso a APADEQ conseguiu, após 10 anos de lutas, concluir seu maior sonho, a Vila Esperança. Vila Esperança é um Centro para Tratamento de Dependência Química, projetado e construído especificamente para este tipo de atendimento. Possui toda a infra-estrutura para este gênero de trabalho, em um ambiente favorável ao tratamento residencial de dependentes químicos, de ambos os sexos. São 1270 metros quadrados de área construída, em terreno próprio de 5138 m2 ,  onde se encontram instalados dentre outros:

  • Pátio de recreação;
  • Sala de refeições;
  • Cozinha, despensa de alimentos e despensa de material de limpeza;
  • Lavanderia;
  • Recepção, sala  e escritório de administração;
  • Auditório;
  • Consultório médico
  • Salas para palestras ou reuniões de grupo;
  • Salas para terapias individuais ou para pequenos grupos;
  • 9 quartos e 14 banheiros para alojamentos de pacientes, totalizando 37 leitos (28 masculinos e 9 femininos).

Conta com uma equipe multidisciplinar composta por psicólogos, conselheiros em dependência química, monitores, psiquiatra. O tratamento é baseado no modelo Minnesota e utiliza-se de técnicas de diversas abordagens da Psicologia.
O modelo Minnesota foi desenvolvido na década de 1930, no Hazelden Rehabilitation Center, no estado de Minnesota, EUA, a partir de uma parceria entre um hospital psiquiátrico estadual e Alcoólicos Anônimos. Hoje esse modelo é utilizado em milhares de clínicas nos Estados Unidos e também em clínicas do Brasil. Neste modelo o paciente é incentivado a reexaminar seus valores e relacionamentos por meio de palestras, aconselhamento individual e dinâmicas de grupo.
No livro” The Minnesota Model, de 1993, o presidente do Hazelden, Jerry Spicer, faz a seguinte síntese:
. profissionais e pacientes colaboram para definir o caminho da recuperação
. o foco do tratamento é a mudança no estilo de vida
. o tratamento focaliza o longo prazo
. a reabilitação depende de sistemas sociais como a família, amigos e grupos de ajuda mútua.

***




 
Número e perfil dos membros

Todas as pessoas a partir de 16 anos de idade, de ambos os sexos, independente da classe social que ocupa e do grau de escolaridade, que estejam em situação de abuso ou dependência de substâncias psicoativas,  com condições razoáveis de saúde física e psiquiátricas sem  necessidade de um suporte clínico maior, e que estejam dispostas a buscar um tratamento.
Familiares de pessoas envolvidas com uso, abuso ou dependência de substâncias psicoativas que necessitem de atendimento para orientação ou encaminhamento.

 
Principais problemas/dificuldades da área atuante

A capacidade de Vila Esperança é para 33 pacientes (o que equivale a aproximadamente 330 pacientes/ano).
O número de pedidos para internação tem aumentado por causa do reconhecimento  do bom trabalho institucional e também devido ao aumento do abuso e dependência de drogas em nossa sociedade.
A Vila Esperança tem atendido abaixo da sua capacidade devido às dificuldades financeiras. Tem se mantido graças à contribuições que são arrecadadas através de um sistema de doações pelo tele-marketing mantido pela APADEQ. Um problema sério que se põe atualmente é o aumento sucessivo do custo das linhas telefônicas.  No entanto, apesar das dificuldades, a qualidade dos serviços tem sido preservada.

 
Publicações

Pesquisas realizadas em Vila Esperança/APADEQ:

TÍTULO: Fatores de Risco que Favorecem a Recaída no Alcoolismo - uma Proposta para sua Prevenção:
AUTORES: Dr. Armando Alonso Álvarez – uma parceria da Universidad de La Habana, Laboratório de Pesquisa e Saúde Mental e Universidade Federal de São João Del Rei, 2007

TÍTULO: Análise da Prontidão para o Tratamento em Alcoolistas em um Centro de Tratamento.
AUTORES: Geraldo Luiz Oliveira De Resende; Vera Lúcia Adami Raposo do Amaral; Marina Bandeira; Alexia de Toledo Sales Gomide; Emmanuel Melchisedech Reis Andrade.

NOME DA REVISTA: Revista de Psiquiatria Clínica da Usp
VOLUME: 32-4, 2005

TÍTULO: Tratamento Ambulatorial com Alcoolistas com Referencial Cognitivo-comportamental e no Modelo Minnesota (Ambulatorial Treatment with Alcoholics in Cognitive-behaviour Referential and Minnesota Style)
AUTORES: Geraldo Luiz Oliveira de Resende; Lidiane Campolina; Daiana Baroni; Maurielle Quinani; Patrícia Mondaini; Elisângela Ferreira.

NOME DA REVISTA: Anais do XIII Encontro da Associação Brasileira de Psicoterapia e Medicina Comportamental e II Encontro Internacional da Associação de Análise de Comportamento. Pg: 125, 2004

 
Ações

Programa Construindo: Este é um projeto que merece destaque. Trata-se de um programa de prevenção ao uso e/ou abuso de drogas, cuja realização é fruto de uma parceria entre a APADEQ, o Conselho Municipal de Entorpecentes e a 34ª  Superintendência Regional de Ensino.  Consiste em cursos de capacitação e aperfeiçoamento para diretores e professores, fornecendo-lhes conhecimento sobre dependência química, formas de prevenção e tratamento. Uma vez capacitados, esses professores tornam-se multiplicadores  dos conhecimentos adquiridos na comunidade escolar. Após o curso informativo a APADEQ passa a assessorar os professores capacitados  na implementação de um programa de prevenção específico à realidade da escola envolvendo alunos e pais. A partir daí é oferecido suporte técnico continuado facilitando a manutenção do Programa Construindo.
Devido a escassez de recursos, uma vez que a APADEQ mantém-se com as contribuições  da comunidade, o Programa encontra-se parcialmente desativado.

 
Responsável pelo órgão/cargo
Presidente: Selmo José Carlos . Assessor da Diretoria: Luiz Balbino de Souza . Administrador: José Nazareno de Paula . Coordenador Geral: Jailton Zacarias da Silva  
Representante para contatos
Luiz Balbino de Souza . José Nazareno de Paula . Jailton Zacarias da Silva  
Data da coleta dos dados
19 de setembro de 2007  
Responsável pelas informações
Jailton Zacarias da Silva . Patrícia Paula de Carvalho  
Telefones úteis da área

APADEQ/ Vila Esperança: 032 3371-6299
   Tele Central de doações: 032 3371 9832

 

O conteúdo desse portal pode ser reproduzido, desde que citadas as fontes e os créditos.

www.saojoaodelreitransparente.com.br . Projeto, pesquisa, organização e concepção: Alzira Agostini Haddad . Todos os direitos reservados