Melhores Práticas - Ação

1. Cultura e Artistas de São João del-Rei e região

Presépio da Muxinga . cadastro completo dados e fotos

Texto


Marcador de livro frente/verso: homenagem ao Presépio da Muxinga da Atitude Cultural, por ocasião da entrega do Presépio reabilitado por José Imbroise e abertura da Exposição Permanente e Virtual do Presépio da Muxinga



Cartão postal: homenagem ao Presépio da Muxinga/75 anos da Atitude Cultural
Em dezembro de 2004 comemorou-se os 300 anos de consolidação do Arraial Novo de Nossa Senhora do Pilar, que deu origem a São João del-Rei, 100 anos da presença dos franciscanos na cidade e 75 anos de Presépio da Muxinga, o símbolo de nosso Natal.


Presépio da Muxinga . Exposição Permanente Sab/dom e feriado . 14h às 17h
contato: 032 3372 1007 . Praça Prof. José Batista de Souza, nº11/Muxinga (local de origem)
Presépio da Muxinga (Taxa simbólica de visitação)

PRESÉPIO DA MUXINGA
Alzira Agostini Haddad

História, referência, patrimônio cultural. Retrato da vida e do cotidiano de uma pequena cidade.
Mulheres, homens, crianças, bichos, ornamentos, sons, luzes, movimentos.
Engrenagens, fios, rodas, polias, correias, parafusos, mecanismos.
Identidade e memória. O presépio foi construído, a princípio, para a família em 1929.
Um dia, na época do Natal, o Sr. Jorge Antônio Miguel Yunes, que acompanhava um enterro, olhou para dentro da casa: “Que coisa bonita escondida ali. Pode entrar para ver?” Desde então, mais e mais pessoas foram conhecendo e visitando o local.
A idéia era criar um presépio de papel, mas optou-se pela madeira, onde as figuras da Virgem Maria, de José, de Jesus Cristo, dos Reis Magos, dos animais e demais figurantes se movimentassem. O invento sofreu vários aperfeiçoamentos artísticos e técnicos, e somente em 1975, segundo o Sr. Sebastião (Neném), chegou à forma ideal.
O primeiro mecanismo utilizado para gerar a animação foi inspirado pelo funcionamento do relógio da Matriz de N.S. do Pilar: dava-se corda a um peso de ferro de doze quilos, colocado a cinco metros de altura  (em cima do telhado), que demorava cerca de dez minutos para descer, enquanto ia movendo o presépio. Em 1935 adotou-se o motor elétrico de 0,25 hp. O farmacêutico Desidério Rodarte doou alguns bonecos de madeira de seu próprio presépio, enriquecendo ainda mais o sentido e a beleza da criação dos irmãos Teixeira. Os movimentos das figuras envolvem inúmeras linhas enceradas, interligadas, que correm em pequenas rodas logo que se aciona o motor.
Pais, filhos, amigos e visitantes reverenciam a simplicidade, a persistência e o esforço do menino Sebastião Teixeira de Assunção que, aos 14 anos, construiu o presépio junto com o irmão Ivo Teixeira Filho - ajudados, mais tarde, por outros irmãos: José, Geraldo, Antônio Benedito e Benjamim. Inspirado nos modelos exibidos nas revistas juvenis “Tico Tico”, dos anos vinte, os irmãos resolveram investir em uma representação que “expressasse o  sentido de presépio idealizado por São Francisco de Assis”.
Durante todo o ano o presépio era  preparado para o Natal.
Vínculos, lembranças, surpresas, encanto. Trabalho, muito trabalho.
Moeda na caixinha; portas se abrindo, sinos repicando, luzes se acendendo, anjos celebrando. Essas doações ajudaram algumas entidades e colaboraram com a manutenção do presépio. O Sr. Sebastião, que trabalhou na antiga Tipografia Assis e era mecânico como os irmãos, tinha uma coleção de moedas antigas e de histórias.
Em dezembro de 2001, no concurso  “Natal de Luz nas Gerais – Presépios de Minas”, realizado pela CEMIG, ganhou o 2º lugar e brilhou mais uma vez, representando São João del-Rei.
A gente olha o presépio e vê a nossa infância na Muxinga, onde até hoje, mora a família. Entrávamos pela frente e saíamos pelos fundos da casa em uma fila eternamente comprida. O Presépio da Muxinga já foi exposto na então Avenida Rui Barbosa, atual Avenida Presidente Tancredo Neves, no Salão Nobre da Prefeitura Municipal, em frente ao Teatro Municipal, no Centro Cultural e Social do 11o BI Mth, na ACI del-Rei, no Largo de São Francisco e no Museu Municipal Tomé Portes del-Rei, casa de Bárbara Eliodora. Foi diversas vezes admirado junto a outros presépios artesanais, inspiração do projeto "Muxinga, oficina de presépios", uma parceria Atitude Cultural, RDM-Rio Doce Manganês, Escola Estadual Idalina Horta Galvão e Sr. Sebastião Teixeira d'Assunção.
O Sr. Sebastião nos deixou com mais de 90 anos e lutou por toda a vida para assegurar a presença do seu presépio no Natal de São João del-Rei.  Lamentava que não havia uma política mais consistente que pudesse protegê-lo e acomodá-lo definitivamente em seu lugar de origem, na Muxinga, pois os deslocamentos danificava todo o seu mecanismo, além de deixá-lo vulnerável a diversos riscos. 
Ele contou sempre com a ajuda de familiares, principalmente da sobrinha Viviane Maria Padilha Teixeira, sua assistente fiel. No dia 22/10/04, o Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural de São João del-Rei aprovou o projeto de tombamento deste importante acervo. O projeto completo de restauração do Presépio e do casarão com sala de exposições, sala para as oficinas de presépio, jardim etc já foi elaborado e aguarda a oportunidade de saír do papel.

Em dezembro de 2011 o Presépio da Muxinga volta a encantar a cidade de São João del-Rei, agora com um projeto de exposição permanente: sábados, domingos e feriados, de 14 'as 17 horas - o que é melhor - no seu local de origem, na Praça Prof. José Batista de Souza 11.
A reabilitação do Presépio e da sala onde ele está exposto, foi um empreendimento do empresário José Imbroisi/Conecta, que se dedicou com sua equipe por alguns meses a - pacientemente - limpar, pintar e reviver este precioso legado.
A família comemora e participa ativamente de todas as providências necessárias para a disponibilização do Presépio para a comunidade e visitantes permanentemente e conta com diversos apoios, entre eles, o da Atitude Cultural.
Precisamos proteger tessouros como este. Também o nosso casario histórico, as nossas atividades e manifestações culturais, nosso modo de ser, de fazer, as formas de nos relacionarmos com o lugar, as pessoas, o ofício, o lazer, o sagrado.
Estas dimensões da vida que enobrecem a nossa existência, a nossa identidade.

Figuras que compõem o presépio:

  1. 02 moinhos de vento
  2. 01 monjolo
  3. 01 rachador de lenha
  4. 01 negra caximbeira
  5. 01 roda com elefantes
  6. 02 galos de briga
  7. 01 boneco na barra
  8. 01 boneco na gangorra
  9. 02 ferradores
  10. 01 Papai Noel balançando o bebê na gangorra
  11. 01 ferreiro com bigorna
  12. 01 homem com uma garrafa na mesa
  13. 01 tartaruga com patinhos ao redor
  14. 02 mulheres socadeiras
  15. 01 negra com porrete
  16. 01 mulher socando tempero
  17. 01 passadeira de roupa
  18. 01 lavadeira
  19. 01 espanadeira
  20. 02 macacos tocando tarol
  21. 01 pescador
  22. 01 marceneiro
  23. 02 homens serradores
  24. 01 cachorro abrindo a boca
  25. 02 burrinhos mexendo a cabeça
  26. 01 elevador com 01 moinho, tendo um cawboy
  27. 01 gatinho com um passarinho
  28. 01 fita de bichos
  29. 01 fita com carroças, demonstração de carneiros
  30. 01 fita com bebês e cachorrinhos
  31. 01 passarinho tocando um patinho do ninho
  32. 34 bichinhos : cavalos, vacas, elefantes, camelos, burros, galos, patos
01 igreja com duas torres, duas janelas, dois anjos. Dentro da igreja; um berço balançando a imagem do Menino Jesus, Nossa Senhora, São José, os três Reis Magos, três pastores, um anjo embalando o Turíbulo, um passarinho tratando dos filhotes, um homem com copo na mesa.

Parte deste artigo foram publicados na Gazeta de São João del-Rei em dezembro de 2004 e integra o relatório para Tombamento do Presépio da Muxinga pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural de São João del-Rei, elaborado por Alzira Agostini Haddad

Mais informações
Presépio da Muxinga . Alzira Agostini Haddad
Exposição de fotos antigas e contemporâneas do “Presépio da Muxinga”
Dados . Muxinga . Oficina de Presépios
Imagens. Muxinga, oficina de presépios
Presépio da Muxinga é reabilitado . Carol Argamim Gouvêa
Fim de ano e Férias Cultural 2011/Presépio da Muxinga . São João del-Rei
Fim de ano e Férias Cultural 2006/Presépio da Muxinga . São João del-Rei
Fim de ano e Férias Cultural 2002/Presépio da Muxinga . São João del-Rei
Exposições Atitude Cultural: Ser nobre é ter identidade . Galerias Virtuais
Exposições Ser nobre é ter identidade/Imagens . Atitude Cultural

Matérias:

O anjo do Presépio da Muxinga voou para o céu

Artigo escrito por ocasião do falecimento do Sr. Sebastião

Alzira Agostini Haddad/2007 

Pela primeira vez em 78 anos o Presépio da Muxinga parou. Bem tombado pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural de São João del-Rei, perdeu o seu personagem principal.
A bucólica São João del-Rei, retratada desde 1929 graças aos três irmãos Teixeira, se despediu do último deles, o Sr. Sebastião Teixeira de Assunção, que cuidou como pode e manteve viva uma das nossas mais delicadas e caras tradições. No alto de seus 92 anos, apesar das limitações e dificuldades, dia após dia zelava pela igrejinha que abriga o Menino Jesus, a Nossa Senhora e São José, os Reis Magos, os anjos e sinos, a lavadeira, passadeira, lenhador, ferreiro, ferradores, pescador, marceneiros, moinhos de vento, bigorna, monjolo, os bichos, o complexo mecanismo, todos os detalhes. Estamos muito tristes, mas concordamos que ele teve uma vida plena: marcou a história da cidade com a sabedoria dos lúcidos e a vida de toda a nossa gente com obstinada tenacidade: manter o Presépio até o último dia de sua vida.
Mistérios de nosso Criador. O Presépio se despediu de seu guardião assistindo seu cortejo fúnebre que contornou sua casa, o imponente e sólido casarão da Muxinga, a caminho do Cemitério da Boa Morte, bem ali pertinho. Contava o Sr. Sebastião que o Sr. Jorge Miguel Yunis, justamente quando voltava de um enterro, percebeu o presépio dentro da casa, pediu curioso para entrar e ver – descobriu nosso tesouro. Desde então, a cidade tem na alma a doce lembrança que acariciou todas as infâncias. Providencial esta cena singular acontecer 78 anos depois da descoberta, exatamente no dia 22 de agosto, dia do folclore que quer dizer sabedoria do povo. Nosso Presépio registra o nosso modo de ser naquele tempo, nossos costumes, lazer, fé. Apresenta os mestres de ofícios tradicionais que imprimiam, através de muito trabalho, a nossa cultura, a nossa mais pura identidade.
O nobre Sr. Sebastião se dedicou nos últimos anos ao projeto “Presépio da Muxinga” que tive a honra de compartilhar e traduzir em um projeto que apresentamos ao Ministério da Cultura/IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Um esmerado dossiê foi encaminhado com projeto, imagens e documentos. Junto com a arquiteta Ana Ligia Resende fizemos um projeto arquitetônico para o local, propondo a restauração e transformação do local em um belo espaço cultural com salão de exposição permanente, sala de oficinas e jardim. O grande sonho: a restauração do presépio que seria entregue ‘as experientes mãos de Carlos Magno de Araújo e sua equipe para exposições e visitação permanente.
Sua oficina se expandiria, crianças e adolescentes poderiam praticar a arte do ofício da construção de presépios. Há anos o Sr. Sebastião aguardou ansioso a aprovação deste projeto, que não se efetivou, foi privado de vivenciar estes planos sem entender o porque, sabia ser plenamente legítimo a preservação deste bem. E o Presépio e principalmente o local que o abriga, que angústia – se encontra em precárias condições.
Com a sua intensa participação, uma parte deste sonho começamos a realizar junto ‘a Pastoral da Criança, a Escola Idalina Horta Galvão e a RDM – Rio Doce Manganês. Ao longo do ano de 2006 desenvolvemos o projeto “Muxinga, oficina de presépios” com os jovens da comunidade do Senhor dos Montes e uma exposição com os trabalhos e presépios integrou a programação do evento Fim de Ano e Férias Culural . Atitude Cultural.
Ele apontava em seu quintal, sempre acompanhado pela companheira e sobrinha, a quem delegou o presépio e a sua tradição: "aqui Viviane, é o lugar onde será o salão do Presépio, que funcionará todos os dias, não só no Natal. Aqui a oficina de presépios das crianças, lá os banheiros, o jardim vai ficar bonito, a escada vai ter que arrumar..."
Seus olhos, da cor do seu novo endereço, brilhavam.
Seja feita a sua vontade aqui na terra como no céu.

***

Presépio da Muxinga volta à ativa em SJDR
Mais de 90 anos de história voltaram a ser expostos no Bairro Muxinga, em São João del-Rei. Trata-se do Presépio da Muxinga, que foi reaberto no dia 10. Após cinco anos de reclusão, a obra ficará exposta permanentemente para visitações aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 17h, gratuitamente.
A representação do nascimento de Cristo, com personagens que se movem, foi restaurada por uma equipe de sete pessoas coordenada por José Imbroisi e está sob a responsabilidade de Maria Aparecida Teixeira, a Cida, filha de Ivo Teixeira Filho que, junto com os irmãos dele José do Carmo Teixeira Guimarães, Sebastião Teixeira da Assunção e Geraldo Teixeira da Assunção construíram a peça.

Restauração
“Com o falecimento dos proprietários, o presépio se perdeu. A família queria resgatá-lo, mas não tinha condições para isso. Em janeiro me ofereci para restaurá-lo e fui autorizado. Pintamos as peças buscando as tintas nos tons originais. Havia muitos pedaços com caruncho e com a madeira deteriorada, que tivemos que trocar. Além disso, todo o mecanismo foi remontado. Tive a felicidade de ter ajudantes muito capazes”, contou Imbroisi.
Segundo ele, a recuperação do presépio durou sete meses. “Trabalhávamos nas horas vagas. Só conseguimos porque houve muita dedicação e carinho pela obra. Parecia um desafio impossível, mas foi como uma coisa divina, uma experiência fabulosa”, disse o responsável pela restauração da peça.
Imbroisi ainda contou que sua motivação foram os valores culturais e religiosos. “Como o presépio é um patrimônio cultural da cidade, tinha que ser resgatado. Todos os anos São João inteira o visitava. Quando eu falava para as pessoas da minha geração que estava resgatando a obra, os olhos brilhavam. Não poderíamos deixar como estava”, comentou.
Para que o símbolo natalino pudesse voltar à ativa, o cômodo onde a peça foi construída originalmente foi reformado. “A casa não tinha condições de recebê-lo e tudo se perderia se ele não estivesse em seu local de origem. Ele não pode e nem deve sair dali, já que é muito frágil. A exposição em outros lugares acabou deteriorando-o”, disse.
Cida contou que a visitação no local tem sido grande. “Para mim esse presépio representa a minha infância. Vivi nessa casa, sempre vendo as pessoas visitando-o, com meu pai e meus tios cuidando dele. Minha família tinha muito medo de que esse presépio acabasse. Graças a Deus conseguimos reativá-lo”, disse.
O presépio fica na Praça José Batista de Souza, no 11, no Bairro Muxinga.

Nono Rela
Quem quiser também pode visitar até a próxima sexta-feira, 6 de janeiro , o Presépio do Nono Rela, que está exposto no Museu de Arte Sacra, próximo à Matriz do Pilar, de segunda a sexta-feira, das 12 às 17h; e no sábado, de 9h às13h.


***

Presépio da Muxiga será reaberto dia 10 de dezembro
A magia do Natal do século passado está de volta a São João del-Rei. Isto porque, depois de 30 anos sem ser exposto ou até mesmo com montagem em outros pontos da cidade, volta à Muxinga o famoso Presépio dos Irmãos Teixeira. Numa iniciativa pessoal do empresário José Imbroisi – que recuperou as cerca de 70 peças e o antigo espaço à Praça Professor João Batista de Souza, 11, atrás do Hospital n. Sra. das Mercês – o Presépio será inaugurado no dia 10 de dezembro, às 14 horas.
Segundo informou Maria Aparecida Padilha Teixeira, a Cida, filha de um dos irmãos, o Ivo Teixeira Filho, “o presépio era a vida de nosso pai e tios, principalmente do último a falecer, o Neném (Sebastião Teixeira d’Assunção)”. Por isso a felicidade da família quando foi procurada por José Imbroisi, que manifestou interesse em recuperar o local e cada uma das peças que compõem o imaginário de muitas crianças, que se encantam com a singeleza e simplicidade da montagem natalina.
José Imbroisi resume em uma frase tudo o que sentiu em poder estar contribuindo com a recuperação do Presépio da Muxinga, que é um patrimônio cultural do município desde 24.12.2004: "É encantador!". Segundo ele, sua iniciativa se deu "por se tratar de um bem cultural imensurável e, aliado a isso, trata-se de uma forma de tentar, com um pequeno gesto, resgatar nossa cultura religiosa com relação às origens do Natal”.

A recuperação
As peças foram transferidas da marcenaria do José Calixto – que há dois anos tinha manifestado sua vontade de recuperar o Presépio, mas, devido à problemas de saúde não concretizou seu intento – para o galpão a antiga fábrica de móveis de José Imbroisi. “Durante seis meses, duas pessoas fizeram o trabalho por mim coordenado”, contou o empresário. E acrescentou. "Nossa maior preocupação era não fazer qualquer interferência ou mudar suas características. Foi uma experiência muito bonita. Quando ele chegou, foi que percebi a tamanha responsabilidade. Fiquei assustado. Achei que não ia dar conta. Mas deu tudo certo, graças a Deus!".
Quanto aos recursos, José Imbroisi comentou: "Não se gastou nada. Apenas com o transporte. Usei poucas tintas, rolo de barbante e alguns pedaços de madeira. O montante do gasto foi insignificante. O que se gastou mais foi com o tempo." O empresário, ainda, recuperou o local, trocando as telhas e portas e pintando o espaço, o corredor de acesso, que povoou o imaginário de muita criança, hoje adultos como ele. "Tenho 59 anos. Esse Presépio fez parte de minha infância. Quem não se lembra do Presépio da Muxinga?", observou.
O casarão da família, que abriga o Presépio, foi pintado (tintas fornecidas por Adenor Simões e mão-de-obra dos detentos da Apac) e receberá uma iluminação especial de Natal. Cida reclama da falta de apoio por parte da Prefeitura Municipal para arrumar o acesso ao local. "Fui diversas vezes atrás do secretário de Obras que aqui nem apareceu. Ele ficou de disponibilizar o pintor e se não fosse o apoio
da assessoria do deputado Reginaldo Lopes, junto ao Fuzatto, não teríamos tido a pintura. O acesso está precário, principalmente para os idosos. Nada foi feito até agora", disse.

O Presépio
Criado e 1929 pelos irmãos Ivo, José, Geral o e Sebastião, o Presépio foi inspirado na revista juvenil dos anos 20, “Tico Tico". Inicialmente feito em papel, os Teixeira acabaram optando por madeira e, depois, pelo funcionamento por motor. O que gerou espanto e curiosidade dos são-joanenses ria época.
Ao longo desses 82 anos, há cinco desativado, o Presépio sofreu vários aperfeiçoamentos artísticos e técnicos. Cida conta que a última vez que ele foi montado foi em 2006, no Solar da Baronesa. Como o Sr. Neném faleceu no ano seguinte, de lá para cá nunca mais a população pode apreciar sua bela montagem, que inclui um ferreiro levantando a pata do cavalo para ferrar o animal, uma passadeira de roupa, um lenhador agitando o machado no ar, além da Igreja que traz o berço com a imagem do Menino Jesus e duas torres onde os snos dobram.
A partir de agora, o Presépio será uma exposição permanente, o ano todo, nos finais de semana e feriados, de 14 ás 17h, com taxa de entrada para visitação no valor de R$2,00.

Fonte: Folha das Vertentes, 2º Quinzena de novembro de 2011


***
O Presépio da Muxinga é tombado

O Presépio da Muxinga, em São João del-Rei, ganhou um presente especial no aniversário de 75 anos, comemorado este ano. Ele foi tombado pelo Conselho de Prevenção do Patrimônio Histórico de São João del-Rei como bem cultural do município. Isso significa que obra, que encanta e já encantou milhares de sanjoanenses, passa a ganhar proteção e mais facilidade na obtenção de recursos e parcerias para sua preservação.
“O tombamento é o reconhecimento da comunidade de que aquele é um patrimônio cultural relevante”, diz Alzira Agostini Haddad, relatora do projeto de tombamento do presépio. ‘É como se o presépio ganhasse um selo de qualidade”, completa a conselheira, que trabalha para a efetivação de um projeto que busca um local adequado ara que o presépio fique definitivamente na Muxinga.
Até 6 de janeiro, o presépio está exposto no Museu Municipal Tomé Portes del_Rei, a casa e Bárbara Heliodora.
A notícia do tombamento do Presépio da Muxinga foi comemorada por toda a família de Sebastião Teixeira Assunção, 90, um dos seis irmãos que trabalham na construção da obra. Este é o primeiro tombamento de um bem cultural de natureza material em São João del-Rei.

Fonte: Instituto Estrada Real, 27 de dezembro de 2004

 

www.saojoaodelreitransparente.com.br . Projeto e coordenação: Alzira Agostini Haddad . Todos os direitos reservados